Jornal do Brasil

Sexta-feira, 26 de Dezembro de 2014

Economia

Reforma do FMI chega a impasse

Jornal do Brasil

As discussões sobre o Fundo Monetário Internacional (FMI) chegaram a um impasse, segundo autoridades do G20. Os Estados Unidos travam algumas mudanças e autoridades afirmam que se ele não aprovar as mudanças, irão continuar sem ele.

As principais mudanças envolvem o aumento do poder de voto dos países emergentes e a capacidade de empréstimo da instituição, que dobraria, chegando a US$ 737 bilhões.

Nesse novo cenário, países emergentes como China, Brasil, Índia e Rússia ficariam entre os maiores cotistas do Fundo, o que aumentaria o poder de voto. Hoje, o Brasil tem poder de voto de 1,7%, e poderia chegar a 2,2%. Por outro lado, diminuiria marginalmente o poder dos EUA, de 16,7% para 16,5%.

Segundo o FMI, a aprovação da proposta chegou a 76%, mas para ser aprovada precisa chegar aos 85%.O Brasil pretende dar uma outra opção ao FMI, propondo a desvinculação do tema das cotas de porcentagem de votação das outras reformas.

A questão precisa ser aprovada pelo Congresso dos países membros, e está travada no Congresso Americano há quatro anos, devido a disputas internas. O atual presidente do G20, o ministro australiano Joe Hockey, disse estar preocupado com a demora da aprovação americana. Essa seria a 14ª reforma do FMI.

Tags: brasil, cotas, EUA, FMI, países emergentes

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.