Jornal do Brasil

Terça-feira, 29 de Julho de 2014

Economia

Vendas do comércio crescem 3,3% no primeiro trimestre, apesar de recuo em março

Agência Brasil

A atividade do comércio recuou 3,3% em todo o país, no mês de março ante fevereiro, de acordo com levantamento divulgado hoje (4) pela empresa de consultoria Serasa Experian. Na comparação com março do ano passado, houve queda de 1,6%. O desempenho de março deste ano, entretanto, foi afetado pelos dias de carnaval. Quando se compara o primeiro trimestre de 2014 com o mesmo período do ano passado, houve alta de 3,3%.

Segundo os economistas da Serasa, o feriado do carnaval reduziu o fluxo de consumidores às lojas no mês de março, o que afetou fortemente a atividade. Com relação ao resultado do primeiro trimestre (alta de 3,3%), os analistas ponderam que o resultado foi muito inferior ao registrado no primeiro trimestre do ano passado, quando houve expansão de 12,9%. O aumento do crédito, a alta da inflação e a baixa disposição dos consumidores em ampliar seus níveis de endividamento explicam, segundo os economistas, o enfraquecimento do varejo.

A maior queda observada em março, entre os segmentos varejistas, ocorreu com as lojas de material de construção (queda de 11% ante fevereiro), seguido pelos ramos de veículos, motos e peças (-5,7%) e móveis, eletroeletrônicos e informática (-5,0%). Também tiveram retração em março os segmentos de combustíveis e lubrificantes (-3,5%), supermercados, hipermercados, alimentos e bebidas (-2,7%) e tecidos, vestuário, calçados e acessórios (-1,7%).

No acumulado do primeiro trimestre de 2014, a atividade varejista cresceu 3,3%, liderada pelo setor de combustíveis e lubrificantes (alta de 4%), supermercados, hipermercados, alimentos e bebidas (expansão de 3,3%) e material de construção (crescimento de 2,8%). Por outro lado, houve retração no primeiro trimestre, na comparação com o primeiro trimestre do ano passado, nos segmentos de móveis, eletroeletrônicos e informática (-0,3%), veículos, motos e peças (-1,2%) e tecidos, vestuário, calçados e acessórios (-2,3%).

Tags: brasil, comércio, economia, índice, taxa

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.