Jornal do Brasil

Sábado, 20 de Dezembro de 2014

Economia

'New York Times': desempregados têm dificuldade em conquistar vagas

Maioria de norte-americanos desempregados há mais de seis meses não consegue ser contratado

Jornal do Brasil

O jornal americano New York Times publicou uma reportagem nesta quinta-feira (3) denunciando o alto número de pessoas desempregadas há mais de seis meses nos Estados Unidos. A publicação "Out of Work, Out of Benefits, and Running Out of Options" (Sem trabalho, sem benefícios e quase sem opções) estabelece uma relação entre este cenário e a forte recessão enfrentada pelo país há cinco anos. Por meio de entrevistas com alguns personagens, a matéria infere que boa formação, experiência profissional e persistência muitas vezes não garantem uma nova contratação. Segundo o autor, a solução não pode ser apontada facilmente. 

A reportagem garante que o Governo Federal praticamente não auxilia os 3,8 milhões de americanos que estão desempregados há mais de seis meses (mais que o dobro do número em 2007). Programas para ajudar financeiramente famílias desamparadas, por meio de vale-alimentação e treinamento profissional, não buscariam ajudar os que não trabalham há mais tempo. 

De acordo com uma pesquisa realizada por Alan B. Krueger, de 10 pessoas desempregadas há um extenso período de tempo, somente uma voltou a trabalhar um ano depois do estudo. Isto poderia ser explicado por um possível desencorajamento e redução na procura por emprego. Outra possibilidade apontada é de que os empregadores estariam discriminando os candidatos que já estão desempregados: outra pesquisa já demonstrou que os empresários estariam mais inclinados a contratar um candidato que não possui experiência relevante, mas que está empregado.

Ofer Sharone, sociólogo do Massachusetts Institute of Technology (MIT), junto a outros colegas, fundou o Institute of Career Transitions para ajudar a entender o que deve ser feito. O instituto supôs que um intenso aconselhamento profissional poderia auxiliar os desempregados a otimizar seus currículos, continuar suas buscas por emprego, fazer novos contatos e enfrentar técnicas comuns de eliminação por parte dos recursos humanos das empresas. Dos voluntários que participaram no estudo, poucos conseguiram ser contratados. De qualquer forma, os supervisores disseram ter sentido os clientes mais otimistas.

O autor conclui a reportagem afirmando que o governo estaria pressionando para adicionar políticas que ajudariam os que estão desempregados há muito tempo, incluindo renovar seguros para os mesmos. Mesmo com o Congresso dividido na maioria das legislações, a matéria destaca que foi anunciada neste inverno uma iniciativa para incentivar os empresários a não fazer discriminações durante o processo seletivo. 

Tags: crise, desemprego, economia, Estados Unidos, recessão

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.