Jornal do Brasil

Quarta-feira, 17 de Setembro de 2014

Economia

Brasil tem o pior retorno de imposto à população, diz estudo

Entre as 30 nações de maior carga tributária, País oferece os piores serviços públicos

Portal Terra

Entre os 30 países de maior carga tributária do mundo, o Brasil é o que proporciona o pior retorno dos valores arrecadados em serviços à população, como saúde, educação, transporte, segurança e saneamento. A conclusão é de um estudo do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), lançado nesta quinta-feira, que compara os 30 países de maior carga tributária em relação ao PIB (Produto Interno Bruto) e aponta a qualidade do retorno dos serviços públicos.

Segundo o estudo, os Estados Unidos ocupam a primeira posição no ranking, oferecendo o melhor retorno a seus cidadãos. Em seguida, aparecem Austrália e Coreia do Sul. Último colocado, o Brasil fica atrás inclusive de nações vizinhas, como Uruguai (13ª posição) e Argentina (21ª posição).

O destaque dessa quinta edição do estudo, que analisa a carga tributária de 2012, é a Bélgica. O peso dos tributos para o país era de 44% em 2011, o que o deixava na 25ª posição do ranking. A nação europeia reduziu sua carga de impostos para 30,70% e agora ocupa a 8ª colocação.

“O Brasil, no entanto, permanece como o último colocado e, apesar de registrar sucessivos recordes de arrecadação de tributos, ainda não oferece condições adequadas para o desenvolvimento da sociedade”, disse o presidente-executivo do IBPT, João Eloi Olenike.

Metodologia

Para mensurar o retorno dos serviços prestados à população, o IBPT criou o índice de Retorno de Bem-Estar à Sociedade (Irbes). O indicador é resultado da soma da carga tributária em relação ao PIB, que representa 15% da composição do índice, e o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), com peso de 85%.

O Irbes do Brasil é de 135,34 pontos, enquanto o dos Estados Unidos é de 165,78.

Tags: arrecadação, ranking, retorno, serviços, tributos

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.