Jornal do Brasil

Terça-feira, 2 de Setembro de 2014

Economia

New York Times: Banco Mundial amplia os empréstimos a países em desenvolvimento

Jornal do Brasil

Uma reportagem publicada pelo The New York Times afirma que o Banco Mundial anunciou que está dobrando seus empréstimos aos chamados países de renda média, como China, Índia e Brasil. De acordo com a publicação, a nova capacidade de financiamento ao longo da próxima década soma cerca de 100 bilhões de dólares. Já a capacidade de empréstimo para os países através do Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento terá um total de aproximadamente 300 bilhões de dólares.

De acordo com a reportagem, a mudança acontece no mesmo período em que o banco está passando por uma reorganização radical. O jornal americano afirmou que a mudança vai reforçar os recursos disponíveis para os países em desenvolvimento, que apresentam rápido crescimento e renda média entre 15 e 28 milhões de dólares.

O New York Times apurou que o banco pretende alavancar seus empréstimos aumentando os prazos e os limites de endividamento para os países. Ainda segundo a publicação, a situação de cada país será analisada individualmente, alterando, quando necessário, algumas regras de concessão de empréstimos internos e também as taxas.

O jornal ressaltou que a mudança acontece logo após o aumento de fundos do banco para os países mais pobres do mundo. Ainda de acordo com a reportagem, o banco está passando por sua maior reestruturação em duas décadas e, parte dela, envolve a criação de 14 grupos de "prática global", para discutir temas como energia, agricultura e finanças. O jornal informou que os grupos têm a intenção de quebrar as barreiras internas do banco, de modo que um especialista na erradicação da malária na África Subsaariana poderia compartilhar conhecimentos com colegas que trabalham na Ásia.

A publicação antecipou que o Banco irá nomear os líderes do grupo em poucos dias. Outro ponto defendido na reportagem é que a maioria das pessoas consideradas pobres - 1,2 bilhão de pessoas que sobrevivem com menos de US $ 1,25 por dia - não vivem nos países mais pobres , como a Somália, mas sim em países como a Índia e a Nigéria. A reportagem defende que as altas taxas de crescimento dessas nações e expansão da classe de consumo tornaram esses países atraentes para os financiadores estrangeiros e reduziram sua dependência de instituições como o Banco Mundial. Segundo o jornal, o aumento de capacidade de empréstimo do banco pode ajudar a manter a instituição relevante para eles.

Tags: dívida externa, dólares, empréstimo, financiamento, nyt

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.