Jornal do Brasil

Terça-feira, 2 de Setembro de 2014

Economia

The Wall Street: Dilma aponta falha na compra de refinaria 

Jornal do Brasil

O jornal The Wall Street Journal dos Estados Unidos publicou nesta quinta-feira (20) matéria sobre a nota divulgada pela presidente Dilma Rousseff sobre a compra da refinaria de Pasadena pela Petrobras. O jornal relembra a aquisição da empresa e afirma que o escândalo poderá refletir na campanha da presidente para se reeleger. Veja abaixo trechos da matéria. 

Um escândalo envolvendo a aquisição de uma refinaria de petróleo no Texas pela estatal brasileira Petrobras S.A. anos atrás reapareceu nesta quarta-feira (19) após novas informações sobre a aprovação da compra pelo Conselho Administrativo da empresa, do qual a presidente Dilma Rousseff fazia parte.

Dilma culpou um ex- executivo da empresa afirmando que houve falha na informação dos conselheiros sobre o negócio em 2006. A refinaria de Pasadena acabou custando à empresa três vezes mais do que o esperado e se tornou alvo de investigações federais no Brasil. "O relatório era tecnicamente falho", de acordo com um comunicado do gabinete de comunicação do presidente.

Como resultado, a Petrobras pagou cerca de US $ 1,2 bilhões por uma empresa que o proprietário anterior, a belga Transcor Astra, tinha comprado por US$ 42,5 milhões, de acordo com os promotores que estão investigando o negócio desde o ano passado. O caso está assumindo novas dimensões políticas num ano em que Dilma vai tentar a reeleição.

Na quarta-feira , tornou-se publica,  em uma matéria do jornal O Estado de S. Paulo, que Dilma pessoalmente apoiou o negócio, quando era conselheira da Petrobras. Ela respondeu ao artigo com uma declaração dizendo que a decisão do conselho para autorizar a compra da refinaria foi baseada num relatório do diretor internacional da empresa na época, Nestor Cerveró .

Cerveró não respondeu a um pedido de entrevista. Ele agora é diretor financeiro da subsidiária de distribuição de combustíveis da Petrobras, a BR Distribuidora. A Petrobras não quis comentar o assunto. O escândalo envolvendo a refinaria no Texas é o mais recente problema para a Petrobras, que está lutando para gerenciar um grande projeto para desenvolver campos de petróleo em águas profundas descobertos na costa do Brasil na última década.

A empresa tem tomado empréstimos vultuosos para financiar esses planos , tornando-se a petrolífera mais endividado do mundo, com US$ 94.600 milhões dólares em dívida líquida ao final de 2013. A Moody’s  rebaixou a dívida corporativa da Petrobras no ano passado, e suas ações são negociadas a seu nível mais baixo desde 2005.

A Polícia Federal do Brasil disse na semana passada que está investigando o negócio, além de recentes informações de que funcionários da Petrobras teriam aceitado subornos da SBM Offshore, um fornecedor há vários anos de embarcações offshore de petróleo, com sede na Holanda.

Tags: brasil, Costa, diretor, empréstimos, Holanda, Petróleo

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.