Jornal do Brasil

Sexta-feira, 29 de Agosto de 2014

Economia

BC: risco de liquidez de bancos tem pequena alta, mas segue baixo

Jornal do Brasil

O Relatório de Estabilidade Financeira, divulgado nesta quinta-feira pelo Banco Central (BC), mostra que o risco de liquidez no sistema bancário brasileiro apresentou um pequeno aumento no segundo semestre de 2013, mas continua baixo.

"No Brasil, mesmo diante do cenário de redução na liquidez global, manteve-se a avaliação de baixo risco de liquidez e de elevada resiliência do sistema bancário. A liquidez das instituições financeiras permaneceu confortável, apesar da redução nos ativos líquidos, devido à elevação da estrutura a termo da taxa de juros. A carteira de crédito continuou a crescer de forma mais moderada, ainda sustentada pelo crescimento nos bancos públicos, mas com desaceleração no crescimento anualizado. A diferença entre as taxas de crescimento dos bancos públicos e privados diminuiu", diz o relatório do BC.

O Banco Central avalia também que a economia global se fortaleceu no segundo semestre, mas continuou o quadro de desempenhos heterogêneos entre os países, com as economias maduras consolidando a perspectiva de retomada do crescimento e os países emergentes sendo afetados pelas incertezas associadas ao início da retirada dos estímulos de política monetária nos EUA.

Com isso, as taxas de juros do Brasil se mantiveram em crescimento, com muita flutuação na cotação do real e no mercado de ações. Além disso, o risco-país oscilou em torno do nível mais elevado alcançado ao término do primeiro semestre, acrescenta o relatório.

Sobre a inadimplência no Sistema Financeiro Nacional, o Banco Central avalia que a migração para modalidades de menor risco, principalmente consignado e imobiliário, contribuiu para reduzir o calote. "Pressionado pela redução no ritmo de crescimento do resultado com crédito, mas favorecido pela contenção de despesas administrativas, pela ampliação da venda de serviços e por eventos não recorrentes, o lucro líquido do sistema avançou levemente. A solvência do sistema permanece em patamar elevado e os resultados dos testes de estresse concluem pela adequada capacidade de suportar efeitos de choques decorrentes de cenários adversos, inclusive naqueles de extrema deterioração das condições macroeconômicas".

Tags: banco, central, financeiro, relatório, Sistema

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.