Jornal do Brasil

Terça-feira, 29 de Julho de 2014

Economia

Como se fez ricos no Brasil nos últimos 30 anos

Em 1987, apenas três brasileiros figuravam na lista da 'Forbes'. Hoje, são 65 bilionários

Jornal do Brasil

Como se fez ricos no Brasil nos últimos 30 anos. Em 1987, o Brasil só tinha três na lista dos mais ricos tradicionalmente divulgada pela revista americana Forbes. Agora, o número de empresários que entrou nesta elite cresceu tanto que a publicação, desde 2012, elabora uma relação separada só para brasileiros. Em 2014, o país conta com 64 bilionários - número recorde.

Brasileiros começaram a aparecer da lista da Forbes em 1987. Naquele ano, apenas Roberto Marinho, Antônio Ermírio de Moraes e Sebastião Camargo figuravam na relação, todos com mais de 1 US$ bilhão.

Roberto Marinho era definido pela publicação, em 1987, como o mais influente empresário de televisão. De acordo com o texto, Marinho era considerado o homem mais poderoso do Brasil, "tendo desempenhado um papel dominante na comunicação". Ainda de acordo com a definição da publicação, a rede de TV de Marinho "comanda 80% dos telespectadores do Brasil e é a quarta maior do mundo, sendo superada apenas pelo três grandes dos EUA."

A Forbes lembra que o império Globo começou quando o pai de Marinho fundou o jornal carioca O Globo. Em 1944, Marinho passou para radiodifusão e, em 1965, 14 anos depois, a TV chegou ao Brasil e ele começou a construir seu poderio. Segundo a Forbes, a TV Globo começou como 4.000 mil dólares numa joint venture entre Marinho e a Time-Life. Contudo, na década de 1970 novas leis tornaram ilegal para uma empresa estrangeira possuir uma emissora de TV brasileira. Marinho foi obrigado a comprar de volta ações da Time-Life.

A publicação lembra ainda do golpe de 1964 e da relação da emissora com o poder. A Forbes conclui a definição de Roberto Marinho lembrando que a família diversificou as atividades com fazendas de gado, centros comerciais e uma das maiores coleções de arte na América do Sul.

Antonio Ermírio de Moraes é destacado pela Forbes como o brasileiro eleito oito vezes o Empresário do Ano, considerado pela mídia como um homem de "ética insuperável no negócio", e ainda como uma figura austera e dedicada à empresa da família, a Votorantim.

A empresa foi fundada por seu avô em 1918, e era, em 1987, o maior grupo do setor no Brasil e maior empregador privado único. A Forbes ainda destaca que a empresa conseguiu manter-se sem dívidas, "apesar de hiperinflação brasileira." 

Por fim, a Forbes destaca a trajetória de Sebastião Camargo, filho de um humilde lavrador que se tornou um dos homens mais ricos do Brasil. Começou a trabalhar ainda jovem em uma empresa de construção e, aos 21 anos, formou o seu próprio negócio. A indústria foi impulsionada pela expansão do pós-Depressão da década de 1930 e, em 1940 e 1950, pelo nacionalismo, até que ele se tornou maior acionista da Camargo Correa, gigante do setor de construção no país, atuando na área civil, de mineração, engenharia e finanças.

Em 2014, Brasil tem 65 brasileiros bilionários entre os mais ricos do mundo

Jorge Paulo Lemann é o brasileiro mais rico
Jorge Paulo Lemann é o brasileiro mais rico

Em março deste ano, a Forbes divulgou a relação dos 65 brasileiros que entraram no seleto grupo dos bilionários. Somando todas as fortunas destes relacionados, chega-se à impressionante marca de US$ 191,5 bilhões, o que equivale a mais da metade das reservas brasileiras, que em janeiro estavam em US$ 375,4 bilhões. O total também praticamente se equivale ao PIB do Rio de Janeiro, que de acordo com dados divulgados pelo IBGE era de R$ 462 bilhões em 2011 (US$ 200,8 bilhões).

O número de brasileiros bilionários bateu recorde, de acordo com a Forbes. Na lista anterior, haviam 46. O Brasil quase dobrou sua participação no ranking anual em apenas dois anos - em 2012 eram 37 bilionários locais. Há uma década, o país tinha apenas seis.

O brasileiro mais rico é Jorge Paulo Lemann, da Anheuser-Busch InBev, com US$ 19,7 bilhões. Ele é o único brasileiro a figurar entre os 50 mais ricos do mundo, na 34ª posição. 

O segundo da lista é o banqueiro Joseph Safra, com US$ 16 bilhões. Em terceiro está Marcel Hermann Telles (sócio de Lemann), com US$ 10,2 bilhões. 

As empresas dos três solitários brasileiros relacionados na lista de 1987 figuram na lista de 2014. As quarta, quinta e sexta colocações são ocupadas pela família Marinho: João Roberto (4º), José Roberto (5º) e Roberto Irineu (6º) têm, cada um, US$ 9,1 bilhões.

Três representantes da Camargo Corrêa estão na relação: Rossana Camargo de Arruda Botelho, Renata de Camargo Nascimento e Regina de Camargo Pires Oliveira Dias, todas com US$ 2,2 bilhões.

E ainda seis empresários do grupo Votorantim também estão na lista de 2014: o próprio Antonio Ermírio de Moraes, Ermírio Pereira de Moraes, Maria Helena Moraes Scripilliti, todos com US$ 3,1 bilhões; José Roberto Ermírio de Moraes, José Ermírio de Moraes Neto e Neide Helena de Moraes, todos com US$ 1,05 bilhão.

Confira a lista dos 65 brasileiros bilionários de 2014 (com a respectiva colocação no ranking mundial e com os valores em dólares):

34 - Jorge Paulo Lemann  -19,7 bi  - AB/Inbev

55 - Joseph Safra - 16 bi - Banco Safra

119 - Marcelo Hermann Telles - 10,2 bi - AB/Inbev

137 - João Roberto Marinho - 9,1 bi - Globo

137 - José Roberto Marinho - 9,1 bi - Globo

137 - Roberto Irineu Marinho - 9,1 bi - Globo

146 - Carlos Alberto Sicupira - 8,9 bi - AB/Inbev

367 - Francisco Ivens de Sa Dias Branco - 4,1 bi - M Dias Branco

367 - Eduardo Saverin - 4,1 bi - Facebook

396 - Walter Faria - 3,8 bi - Grupo Petrópolis

483 - Aloysio de Andrade Faria - 3,3 bi - Banco Alfa

520 - Andre Esteves - 3,1 bi - Banco BTG

520 - Antonio Ermírio de Moraes - 3,1 bi - Votorantim

520 - Ermírio Pereira de Moraes - 3,1 bi - Votorantim

520 - Maria Helena Moraes Scripilliti - 3,1 bi - Votorantim

580 - Fernando Roberto Moreira Salles - 2,9 bi - Itaú Unibanco, CBBM

580 - Joao Moreira Salles - 2,9 bi - Itaú Unibanco, CBBM

580 - Walther Moreira Salles Junior - 2,9 bi - Itaú Unibanco, CBBM

580 - Pedro Moreira Salles - 2,9 bi - Itaú Unibanco, CBBM

609 - Abilio dos Santos Diniz - 2,8 bi - Pão de Açúcar

642 - Miguel Krigsner - 2,7 bi - Grupo Boticário

663 - Edson de Godoy Bueno - 2,6 bi - Amil

796 - Rossana Camargo de Arruda Botelho - 2,2 bi - Camargo Corrêa

796 - Renata de Camargo Nascimento - 2,2 bi - Camargo Corrêa

796 - Regina de Camargo Pires Oliveira Dias - 2,2 bi - Camargo Corrêa

796 - Moise Safra - 2,2 bi - Banco Safra

828 - Antonio Luiz Seabra - 2,1 bi - Natura

925 - Nevaldo Rocha e família - 1,95 bi - Riachuelo

931 - Dulce Pugliese de Godoy Bueno - 1,9 bi - Amil

931 - Michael Klein - 1,9 bi - Via Varejo

931 - Rubens Ometto Silveira Mello - 1,9 bi - Cosan

931 - Lirio Parisotto - 1,9 bi - Videolar

1036 - Jayme Garfinkel e família - 1,75 bi - Porto Seguro

1092 - Julio Bozano - 1,6 bi -  Grupo Bozano

1143 - Ana Maria Marcondes Penido Sant'Anna - 1,55 bi - CCR

1143 - Cesar Mata Pires - 1,55 bi - OAS

1154 - Sergio Lins Andrade e família - 1,5 bi - Andrade Gutierrez

1154 - Victor Gradin e família - 1,5 bi - Odebrecht

1154 - Alexandre Grendene Bartelle - 1,5 bi - Grendene

1210 - Lina Maria Aguiar - 1,4 bi - Bradesco

1210 - João Alves de Queiroz Filho - 1,4 bi - Hypermarcas

1284 - Eggon da Silva - 1,3 bi - WEG

1284 - Elie Horn - 1,3 bi - Cyrela

1284 - Carlos Francisco Ribeiro Jereissati e família -1,3 bi - Shopping Iguatemi

1284 - Jorge Moll Filho - 1,3 bi - Rede D'Or

1284 - Jose Isaac Peres e família - 1,3 bi - Shopping Multiplan

1284 - Werner Voigt - 1,3 bi - WEG

1284 - Lilian Werninghaus - 1,3 bi - WEG

1372 - Lia Maria Aguiar - 1,2 bi - Bradesco

1372 - Guilherme Leal - 1,2 bi - Natura

1372 - Rubens Menin Teixeira de Souza - 1,2 bi - MRV

1372 - Dorothea Steinbruch - 1,2 bi - CSN

1442 - Alfredo Egydio Arruda Villela Filho - 1,15 bi - Itaú

1442 - Daisy Igel - 1,15 bi - Grupo Ultra

1465 - Ana Lucia de Mattos Barretto Villela - 1,1 bi - Itaú

1465 - Edir Macedo e família - 1,1 bi - Igreja/ Mídia Record

1465 - José Mendes Nogueira e família - 1,1 bi - J Mendes

1540 - Giancarlo Franceso Civita - 1,05 bi - Abril

1540 - Victor Civita Neto - 1,05 bi - Abril

1540 - Roberta Anamaria Civita - 1,05 bi - Abril

1540 - Jose Roberto Ermírio de Moraes - 1,05 bi - Votorantim

1540 - José Ermírio de Moraes Neto - 1,05 bi - Votorantim

1540 - Liu Ming Chung - 1,05 bi - Nine Dragons

1540 - Neide Helena de Moraes - 1,05 bi - Votorantim

1565 - Carlos Martins - 1 bi - Grupo Multi

Tags: brasil, Forbes, LISTA, relação, ricos

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.