Jornal do Brasil

Quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

Economia

Renzi responde à UE e diz que Itália sabe o que fazer

Agência ANSA

Um dia após a Comissão Europeia declarar que a Itália tem "desequilíbrios macroeconômicos excessivos" e cobrar uma redução da dívida pública do país, o primeiro-ministro Matteo Renzi disse que seu governo sabe o que fazer para resolver o problema. O premier está em Bruxelas, na Bélgica, onde participou de uma reunião com outros líderes europeus sobre a crise na Ucrânia.    

"Precisamos parar com a ideia de que a Europa é o lugar onde vamos pegar a nossa lição de casa. A Itália sabe perfeitamente as coisas que precisa fazer, e as fará sozinha pelo futuro dos nossos filhos", declarou Renzi, acrescentando que não precisa dar nenhuma garantia às outras nações do continente sobre as contas públicas italianas.    

Em um relatório divulgado na quarta-feira (5), a Comissão Europeia apontou que o país realizou progressos para alcançar o objetivo de melhorar suas finanças, mas ressaltou que os ajustes feitos ainda são insuficientes para reduzir sua dívida. Segundo o documento, a Itália possui "desequilíbrios macroeconômicos excessivos" e requer um "monitoramento especial" por parte da União Europeia. "É preciso enfrentar o nível muito alto da dívida e a frágil competitividade externa, ambos enraizados no prolongado período de lento crescimento da produtividade, exigindo políticas urgentes", diz o texto.    

De acordo com o ministro da Economia italiano, Pier Carlo Padoan, a avaliação foi bastante severa, mas vai na direção daquilo que o governo pensa. "O relatório coloca em evidência problemas estruturais que conhecemos há muito tempo, e nos incita a retomar o crescimento, e por consequência o emprego, e deste modo a corrigir os desequilíbrios", afirmou o ex-vice-secretário-geral da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) em entrevista a uma rádio italiana. 

Tags: crise, economia, europeia, FINANÇAS, união

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.