Jornal do Brasil

Quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

Economia

Custo da construção civil tem alta mais suave

Agência Brasil

O Índice Nacional de Custo da Construção do Mercado (INCC-M) teve alta de 0,44% em fevereiro, o que representa decréscimo em relação a janeiro quando houve uma elevação de 0,70%. Esse resultado reflete o término das negociações salariais em Belo Horizonte que puxou para baixo o custo médio nacional da mão de obra, com variação de 0,22% ante 1%. O levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (FGV) mostra que, nos dois primeiros meses deste ano, o INCC-M acumula elevação de 1,14% e, em 12 meses, 8%.

Apesar do índice subir com menos intensidade, ficaram bem mais caros, no período, os materiais, equipamentos e serviços com alta de  0,68% ante 0,37%. No ano, essa classe de despesas acumula alta de 1,06% e, em 12 meses, 6,40%. Em fevereiro, entre os aumentos houve destaque para os serviços com preços 1,05% em média acima dos encontrados em janeiro. Um dos itens que mais pesaram no orçamento das obras foram as refeições prontas no local de trabalho com elevação de 1,53% ante 0,32%.

Já a mão de obra teve correção de 1,22% no acumulado do primeiro bimestre e aumentou 9,51% em 12 meses. Das sete capitais, apenas Belo Horizonte teve decréscimo, passando de 4,21% para 0,38%. Nas demais ocorreram as seguintes oscilações: Salvador (de 0,54% para 0,64%), Brasília (de 0,12% para 0,29%), Recife (de 0,22% para 0,41%), Rio de Janeiro (de 0,18% para 0,42%), Porto Alegre (de 0,49% para 0,83%) e São Paulo (de 0,19% para 0,36%).

Tags: brasil, CONSTRUÇÃO, custo, economia, INCC

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.