Jornal do Brasil

Domingo, 21 de Dezembro de 2014

Economia

Bovespa nega pedido de saída da OGX do Novo Mercado

Minoritários denunciam atitudes da bolsa brasileira, que afugentam investidores

Jornal do Brasil

A Bovespa negou o pedido dos acionistas minoritários da OGX para que a empresa saia da lista do Novo Mercado. Eles haviam entrado com requerimento na última segunda-feira (10/02), sob alegação de que a empresa não atende a nenhum dos requisitos de governança corporativa. Aurélio Valporto, representante dos acionistas minoritários, destaca que a "atitude criminosa" da bolsa brasileira é um indício de que a instituição não é séria e que por isso mesmo tem espantado investidores. Criminosa, explica, por levar o investidor a crer que a empresa atende ao mais elevado nível de exigência de governança corporativa, quando na verdade, salienta, não atende nenhum dos requisitos. 

"A manutenção dessa empresa no Novo Mercado é uma completa desmoralização da bolsa de valores brasileira, do Novo Mercado, o que afasta o investidor brasileiro. Ficou ainda mais claro o indício de envolvimento da direção da Bovespa com as fraudes perpetradas no caso OGX", acredita Valporto. 

>> Minoritários querem que OGX saia do novo mercado

Nesta quinta-feira, Valporto denunciou a manutenção da OGX no Novo Mercado à CVM. Na denúncia, ele indica que a OGPar, não atende a nenhum princípio de governança corporativa do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), que o acionista majoritário praticou insider trading, induziu investidores ao erro, que a empresa não tem conselho fiscal, comitê de auditoria nem transparência em suas informações, e que os membros do conselho não são independentes, conforme prega o IBGC.

Se a CVM não tomar providências, acredita, estará também cometendo um crime contra a economia nacional e ajudando a afugentar investidores do país. Ele ressalta que o "calote que a OGX deu aos estrangeiros, e a forma como o governo não fez nada, assustou o mercado, que precisa de medidas sérias. "A CVM e as autoridades deveriam tomar o caso OGX como um evento para que o investidor estrangeiro possa confiar nas instituições brasileiras e voltar a investir no Brasil. Um dos motivos da queda, do influxo, é o escândalo OGX."

O Brasil tem sido alvo de críticas a sua economia e uma delas é justamente que o país vem perdendo investidores. O artigo Ibovespa - the  Ugly Ducking, publicado no ano passado, dá conta de que o caso OGX é um dos culpados pela má fama. Levantamento do Banco Mundial de maio do ano passado colocou o Brasil como o 23° país em número de empresas listadas em bolsa, abaixo de países como Paquistão e Turquia e no mesmo patamar da Mongólia e do Vietnã.

>> Bovespa é 'patinho feio' das bolsas em 2013

Valporto explica que o pedido de retirada da OGX do Novo Mercado foi registrado pela BM&FBovespa na segunda-feira e que foi negado dois dias depois, na quarta-feira. Na manhã desta quinta, recebeu um e-mail do Ombudsman da BM&FBOVESPA, apenas com trechos do regulamento. 

"Com a celeridade que eles negaram, acredito que o pedido não foi nem apreciado. Não houve um estudo da matéria. É evidente que houve uma ordem de cima, da diretoria, para que fosse negado o pedidos. A forma como eles me responderam por e-mail é mínimo amadora - simplesmente me mandaram um trecho de dois artigos -, que não é digna de uma instituição séria. A falta de credibilidade da bolsa brasileira é o motivo de termos uma bolsa de valores pífia. De acordo com estudo do Banco Mundial, nossa bolsa é tão relevante como a da Mongólia", alerta Valporto.

"Isso é um indício sério de que [a BM&FBovespa] está envolvida nos crimes e fraudes perpretados no mercado", acrescentou. Valporto informou ao JB que deve entregar em breve um relatório ao Ministério Público Federal, que aponta muitos indícios de irregularidades contra os investidores. O MPF já investiga se houve irregularidades cometidas pela ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) e pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) na fiscalização das atividade da petroleira OGX.

O JB questionou o motivo da permanência da OGX no Novo Mercado à BMF&Bovespa e foi informado, pela assessoria de imprensa, que a bolsa não responde a casos individuais e que "tudo que está no regulamento do Novo Mercado", disponível no site da instituição e neste link.

Tags: Bolsa, CVM, denúncia, eike, ogx

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.