Jornal do Brasil

Domingo, 21 de Dezembro de 2014

Economia

Apesar do lucro recorde em 2013, Banco do Brasil faz previsões conservadoras

Agência Brasil

Apesar do lucro líquido recorde obtido no ano passado, de R$ 15,8 bilhões, o presidente do Banco do Brasil (BB), Aldemir Bendine, fez projeções modestas para os resultados da instituição para este ano. "Preferimos apresentar um dado, digamos, mais conservador ou realista, e procurar surpreender, como temos feito nos últimos anos", disse ele.

Segundo as projeções de desempenho do BB para 2014, o agronegócio terá o maior crescimento de crédito. A estimativa é que os empréstimos para o segmento variem de 18% a 22%. Esses percentuais, no entanto, são inferiores aos previstos no ano passado, entre 24% e 28%. O desempenho final ficou bem acima do esperado: 34,1%. A projeção para toda a carteira de crédito ampliada varia de 14% a 18% este ano, contra 17% a 21% do ano passado. O resultado, em 2013, foi 19,9%.

De acordo com Bendine, as estimativas ainda podem ser revisadas. "A divulgação de um guidance [projeção de resultados] é feita sobre o cenário de um determinado momento. Era um cenário em que trabalhávamos há aproximadamente três meses. As projeções de futuro não estavam tão clarificadas como estão neste momento."

O lucro líquido de R$ 15,8 bilhões no ano passado, valor 29,1% superior aos ganhos em 2012, foi sustentado por vários fatores, explicou o vice-presidente de Gestão Financeira do BB, Ivan de Souza Monteiro. Em 2013, a instituição financeira registrou o menor crescimento de despesa administrativa de toda a sua história. A liderança na carteira de crédito e a queda na inadimplência também ajudaram. "O banco foca nas linhas de menor risco: o [crédito] consignado, o CDC salário, imobiliário e veículos."

Para 2014, o Banco do Brasil espera a manutenção dos baixos índices de inadimplência registrados nos últimos anos. Bendine ressaltou que a situação persiste há seis ou sete anos e que "a tão decantada bolha ou problema que se poderia ter na qualidade da carteira não vem se cumprindo". Segundo ele, ao contrário, a qualidade na carteira do banco vem melhorando a cada ano. Em 2013, levando em conta as operações vencidas há mais de 90 dias, o percentual de inadimplência do banco ficou em 1,98%.

De acordo com Bendine, o Banco do Brasil tem um sistema avançado para o gerenciamento da inadimplência, que vem sendo seguido por outros bancos e a concorrência convergiu para esse modelo. Ele disse que o sistema do BB inclui a concentração em linhas de menor risco, ações mais proativas exercidas pela instituição para recuperação rápida do crédito e oferta de linhas mais adequadas às situações financeiras conforme a necessidade de cada cliente.

Tags: BB, economia, financeira, instituição, projeções

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.