Jornal do Brasil

Quinta-feira, 24 de Abril de 2014

Economia

'NYT': moeda da Argentina cai em relação ao dólar e gera temores de inflação

Jornal do Brasil

O peso argentino caiu mais de 8% nesta quinta-feira (23/1) com relação ao dólar, após o Banco Central do país tentar impedir um declínio das reservas internacionais. O acentuado declínio da moeda, o maior desde a crise financeira da Argentina de 2002, causou uma preocupação quanto a possibilidade da inflação acelerar ainda mais. As informações foram divulgadas no jornal norte-americano The New York Times (NYT), nesta sexta (24).

A reportagem do Times destaca que desde o início do ano, o peso argentino enfraqueceu 18%, posicionando-o entre as moedas com o pior desempenho no mundo, em relação ao dólar. O chefe de gabinete da presidente Cristina Fernández Kirchner, Jorge Capitanich, insistiu que o declínio não foi uma desvalorização, mas o resultado das forças de oferta e demanda. Por outro lado, a mídia argentina ressaltou que a moeda fechou em 7,75 em relação ao dólar, após o enfraquecimento de cerca de 8,24, como consequência do BC intervir no final do pregão. As reservas internacionais da Argentina caíram.

O Times diz que, embora a promessa de Kirchner de não desvalorizar o peso, o BC deixou a  moeda cair, gradualmente, nos últimos meses. Mas, segundo o ex-ministro da Economia e vice de Kirchner, Gastón Rossi, houve uma mudança de abordagem esta semana. "Depreciar as etapas fez com que as reservas se contraíssem ainda mais", disse Rossi.

Com o aperto das autoridades dos controles cambiais, no esforço para reduzir a fuga de capitais, os argentinos têm recorrido à compra de dólares no mercado negro. A taxa do dólar azul atingiu 13 nesta quinta, de acordo com a imprensa argentina. Com o enfraquecimento da moeda, a preocupação crescer com relação a alta da inflação, com os bens importado mais caros. As autoridades da Argentina dizem que a inflação em 2013 foi de 10,9%, enquanto economistas privados afirmam que os preços ao consumidor, na verdade, subiu mais de 28% no ano passado.

A perspectiva de mudanças abruptas na economia do país gerou tremores nos mercados financeiros de outros países latino-americanos. O Times ressalta que, no vizinho Brasil, que tem a maior economia da região, a moeda enfraqueceu mais de 1,2% e o principal índice de ações do país, caiu quase 2%.

Tags: crise, declínio, financeira, internacionais, Peso, Reservas

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.