Jornal do Brasil

Sábado, 2 de Agosto de 2014

Economia

Com ganho de visibilidade com a Copa, carnaval vai movimentar R$ 6,1 bilhões

Jornal do Brasil

A maior festa popular do Brasil, o carnaval, vai receber cerca de 6,4 milhões de turistas e acrescentar R$ 6,1 bilhões na economia do país, de acordo com um levantamento do Ministério do Turismo. O aumento de arrecadação se deve não só ao ganho de competitividade dos principais destinos turísticos do país, como Salvador, Recife e Rio de Janeiro, segundo o Índice de Competitividade do Turismo Nacional, como também ao ganho de visibilidade do país com os grandes eventos, como a Copa do Mundo e as Olimpíadas de 2016.

“O Carnaval deste ano vai celebrar o crescimento do setor e aquecer os turistas para a Copa do Mundo”, disse o ministro Gastão Vieira. O acréscimo na economia do turismo, maior que nos últimos anos, ficará entre 5% e 6%, de acordo com a projeção.

Apenas a cidade do Rio de Janeiro, principal destino de turistas no Carnaval, deve contribuir com US$ 734 milhões, de acordo com a Secretaria Municipal de Turismo – a Riotur. A prefeitura de Recife e de Salvador também projetam ganhos percentuais que podem chegar a 8%.

Com o objetivo de aumentar o fluxo de visitantes e o tempo de permanência dos turistas nas principais capitais do país, o Ministério do Turismo analisa propostas de investimentos para a promoção do Carnaval em 20 cidades brasileiras. Se aprovadas, esses destinos podem receber R$ 3 milhões para o Carnaval de 2014. Apenas Recife recebeu, em dezembro do ano passado, R$ 2,6 milhões para investir em suas festas este ano. O carnaval de Recife atraiu 375 mil visitantes no ano passado.

Com o objetivo de tornar o Carnaval uma festa que gera emprego e renda durante todo o ano, o Ministério do Turismo discute com o setor estratégias para transformar o evento em um produto turístico. Uma primeira audiência pública aconteceu em 2013.

Tags: Carnaval, economia, ganhos, Mundial, turistas

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.