Jornal do Brasil

Terça-feira, 2 de Setembro de 2014

Economia

Ibovespa cai e atinge o nível mais baixo em cinco meses

Agência IN

O principal índice acionário da BM&FBovespa, o Ibovespa, encerrou a sessão desta quinta-feira, 9, com forte queda no nível mais baixo em cinco meses diante de temores de desaceleração na China, que é um dos principais parceiros comerciais brasileiro. Com isso, a bolsa brasileira registrou desvalorização de 2,48%, aos 49.321 pontos. O giro financeiro ficou em R$ 7.060 bilhões.

>> Sob expectativas com FED, dólar encosta em R$2,40

Entre as oscilações positivas em destaque na sessão estão os papéis da ALL AMER (ON) que avançaram 8,64% e a TIM PART (ON) que apresentaram alta de 0,53%. Em contrapartida, entre os destaques negativos, estão os papéis da ENERGIAS BR (ON), que recuaram 5,96% e BRADESPAR (PN) a que apresentaram revés de 4,72%.

Na agenda de indicadores internos, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelou a 12ª avaliação da produção nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas e confirmou uma safra recorde de 188,2 milhões de toneladas em 2013, superior 16,2% à obtida em 2012 (161,9 milhões de toneladas), e com variação absoluta positiva de 1.378.853 toneladas na comparação com a estimativa de novembro (0,7%).

Além disso, a inflação sobre produtos e serviços em novembro desacelerou na região metropolitana de São Paulo, em comparação a outubro. De acordo com os indicadores da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), o Índice de Preços do Varejo (IPV) aumentou 0,39% e o Índice de Preços de Serviços (IPS) subiu 0,50%. O Custo de Vida por Classe Social (CVCS), que analisa o conjunto de preços de serviços e produtos, apresentou alta de 0,45%, menor que a de 0,72% apresentada em outubro.

Na Europa, as bolsas fecharam em queda, com o FTSE 100 de Londres caindo 0,45% a 6.691,34 pontos. O DAX 30 de Frankfurt caiu 0,80% a 9.421,61 pontos e o CAC 40, em Paris, caiu 0,84% a 4.225,14 pontos.

Nos Estados Unidos, os pedidos de seguro desemprego caíram mais que o previsto na semana encerrada em 4 de janeiro, indicou nesta quinta-feira o departamento do Trabalho. Em dados corrigidos por variações sazonais, ficaram em 330.000, em baixa de 15.000 em relação às 345.000 (cifra revisada em alta) registradas na semana anterior. Os analistas em sua previsão média calculavam 338.000 pedidos.

Tags: Bolsa, brasil, índice, mercado, queda

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.