Jornal do Brasil

Quinta-feira, 17 de Abril de 2014

Economia

Natal: maioria deve gastar até R$ 150 em compras online, diz estudo

Investimentos e Notícias

Dos brasileiros que estão fazendo compras para o Natal via Internet, 26% deles devem gastar entre R$ 101 a R$ 150, uma elevação de 15 pontos percentuais no ticket médio frente ao ano passado, quando 11% declararam intenção de gastos nestafaixa de preço. A informação é da pesquisa “e-CRM123: Compras no Natal via e-commerce”, divulgada hoje pela eCRM123, empresa referência em CRM Social no Brasil.

De acordo com o levantamento deste ano, 73% consideram a data “importante” ante 86% que responderam a pesquisa em 2012. Também houve queda, 13 pontos percentuais, na categoria “Gastos acima de R$ 250”. Em 2012, 28% declararam intenção de compra nessa faixa de preço contra 15% em 2013.

Outros 28% disseram que devem gastar até R$ 50 neste Natal ante 25% em 2012. A faixa entre R$ 151 e R$ 250 responde pelas intenções de 13% em 2013 contra 8% em 2012. “Estudos como este são desenvolvidos sistematicamente pela gente, pois temos profundo interesse no comportamento do consumidor social”, explica José Jarbas, CEO da eCRM123.

Roupas – produto preferido

Assim como em 2012, 34% dos entrevistados alegaram que compram “Roupas” pela Internet. É a segunda vez que o número supera a categoria “Eletroeletrônicos”: 23% em 2013 ante 28% em 2012. “Brinquedos” também teve queda considerável: de 17% no ano passado para 10% neste ano. A categoria “Livros” subiu de 6% em 2012 para 9% em 2013. “Comidas/bebidas” ficou em 7% nos dois períodos. O percentual também se repete em “Utensílios para casa”, com 3%. “Outros” itens figura com 14% na apuração de 2013.

Exatos 38% disseram que farão compras em “Outros” sites de comércio eletrônico, mas Submarino (16%) e Americanas (14%) lideram a relação de mais citados, seguidos por Magazine Luiza e Ricardo Eletro (8%), Mercado Livre (6%), Amazon (6%), Walmart (3%) e Daifiti (1%). “Apesar de algumas marcas obterem uma alta intenção de compra, é interessante observar que 38% ainda indicam ‘outras lojas’”. 

De acordo com o CEO da eCRM123, “isso pode estar vinculado ao fenômeno da ‘cauda longa’, no qual produtos de nicho, muitas vezes pouco populares, atraem uma boa parcela das compras continuamente, como uma loja de camisetas ou de pôsteres por exemplo”.Também é interessante notar a presença da Amazon no levantamento. “A maior varejista online do mundo entrou muito timidamente no Brasil por meio do www.amazon.com.br e a oferta do Kindle, seu e-reader. A intenção de compra que era de 5% (2012) subiu um ponto percentual em 2013. 

Curiosamente, também tivemos aumento na intenção de livros como presente de Natal este ano”, comenta.

Problemas – atraso na entrega aumentou

O CEO da eCRM123 atenta também para as frustrações que o comércio eletrônico pode causar ao consumidor. “De acordo com o nosso levantamento, 28% dos pesquisados em 2013 – ante 26% em 2012 – já tiveram problemas de atraso na entrega de mercadorias com as compras online. Em 2012, 5% chegaram a apontar que não houve o recebimento do produto, número que saltou 6 pontos percentuais em 2013, atingindo 11% dos entrevistados. Paralelamente, houve queda de 2 pontos percentuais de consumidores que disseram ter recebido o produto com defeito – de 8% para 6%.

O critério mais definitivo para a escolha de um site de compras online, segundo indica o estudo da eCRM123, é a reputação. Ou seja, a forma como o site é percebido, comentado e divulgado influenciou diretamente 55% dos pesquisados de 2013 (a pergunta não foi feita em 2012). Entretanto, quando questionados sobre “o que acham do e-commerce na redes sociais?”, 48% declararam ser “bom” em 2013 ante 37% em 2012. A classificação “Ótimo” apresenta decréscimo substancial: de 39% em 2012 para 23% em 2013. Consideram “Regular” 16% dos respondentes deste ano ante 14% em 2012. “Péssimo” figurou com 5% em 2012 ante 2% deste ano. “Não tem opinião formada” reúne 11% antes 6% em 2012.

Tags: atrasos, compras, Natal, online, sites

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.