Jornal do Brasil

Quinta-feira, 17 de Abril de 2014

Economia

Clarín: Argentina cria moeda específica para mercado de autos

Jornal do Brasil

O jornal argentino Clarín publica nesta quinta-feira (5/12) uma matéria sobre a criação de uma taxa de câmbio específica para a compra de veículos em dólar, na Argentina. Segundo o veículo, na quarta (4) o governo do país criou mais duas versões da moeda, apelidadas de "dólar Florianópolis", negociado a $ 8,34, e o "dólar Paris", no valor de $ 6,71 dólares. Mas para o Sistema Tributário da Argentina (AFIP) as duas moedas são iguais. 

Segundo o Clarín, o ministro da Economia Axel Kicillof comentou sobre uma taxa de divisão, o que foi negado pelo governo mais tarde. "Mas os fatos estão confirmando as espécies, embora por uma rota diferente, a de impostos", diz o texto do jornal. Com o forte aumento dos impostos nacionais sobre os automóveis, o governo tenta frear a importação de veículos de alto desempenho. O Clarín destaca também que o texto da medida deixa brechas para aumentos exorbitantes na negociação de carros novos, com impostos a serem efetuados à Receita Federal. As montadoras chamam de dólar Mercedes Benz.

"Ao contrário de uma divisão explícita de troca, o governo escolheu o caminho de uma sobretaxa sobre compras com cartão ou compra de bilhetes através da AFIP, a única forma legal de obter bilhetes", diz a reportagem. O diretor do Instituto Argentino de Análise Fiscal, Argañaraz Nadin, disse ao Clarín que "o impacto da medida vai depender se o contribuinte poderá deduzir do imposto os reais ganhos pessoais". Para os trabalhadores independentes de alta renda a dedução será automática e apenas o custo financeiro entrará no pagamento da sobretaxa neste verão, a deduzir em 2014. Assim, o custo financeiro pode ser de 8,75%, calculado sobre 25% (inflação) de 35% (impostos). O dólar final, custou $ 6,71 nestes casos. Os outros tributistas não poderão fazer os descontos automaticamente, mas terá que fazer um procedimento para evitar cair nas inspeções da AFIP. "Então, quem tem rendimentos mais elevados e pode pagar viagens e voos mais caros, terá um dólar mais baixo, o Paris", explica o texto. E ainda compara com os contribuintes de conta média, que pretende passar alguns dias numa sala de aula do Brasil, por exemplo, e terão à disposição o dólar Floripa, no valor de $ 8,34.

Tags: Argentina, Câmbio, Dólar, Sistema, taxa, tributário

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.