Jornal do Brasil

Quarta-feira, 16 de Abril de 2014

Economia

Mantega reconhece fraco desempenho do PIB no terceiro trimestre 

No entanto, ministro ainda acredita em crescimento de 2,5% este ano

Jornal do Brasil

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, reconheceu o fraco desempenho da economia brasileira no terceiro trimestre, mas ainda acredita que o PIB vá crescer 2,5% este ano. Em conversa com jornalistas, Mantega disse que o Brasil foi o país que menos cresceu no período, mas que isso foi resultado de uma alta forte nos três meses anteriores, o que prejudicou a base de comparação.

"Somos o país que menos cresceu entre todos os países do mundo nesse terceiro trimestre", afirmou o ministro, se referindo ao conjunto de países do G20 e aos membros dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul).

Mantega garantiu que a economia está numa trajetória de expansão gradual que deve continuar nos próximos trimestres
Mantega garantiu que a economia está numa trajetória de expansão gradual que deve continuar nos próximos trimestres

>> PIB cai 0,5% em relação ao 2º trimestre de 2013 e chega a R$ 1,2 trilhão

>> IBGE revê crescimento: PIB do Brasil cresceu 1% em 2012

>> Mantega: 2013 deverá ser o último ano da crise internacional

>> CNA: PIB da agropecuária deve crescer 6,5% apesar de queda no 3º trimestre

A economia brasileira recuou 0,5% no terceiro trimestre de 2013 em relação ao anterior, que registrou avanço de 1,8% (dado revisado), segundo divulgou nesta terça-feira (3) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Foi a primeira queda do PIB desde o início de 2009, quando a economia caiu 1,6%.

No entanto, Mantega garantiu que a economia está numa trajetória de expansão gradual que deve continuar nos próximos trimestres, e defendeu que ainda é possível que o Produto Interno Bruto (PIB) do país cresça 2,5% neste ano. "Acredito nisso. É o que se percebe pelo aquecimento da economia, pelo consumo. Este ano vamos crescer mais que o ano passado. A economia brasileira está em trajetória de crescimento gradual, e isso deve continuar nos próximos trimestres", acrescentou o ministro. 

Ele ressaltou ainda que o ano tem sido difícil em todo o mundo, pois nenhum país está conseguindo grandes crescimentos. "2013 é um ano ainda de crise, provavelmente o último ano de crise. Ano que vem esperamos cenários melhores", concluiu.

Tags: bruto, interno, Ministro, produto, queda

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.