Jornal do Brasil

Economia

Comitê mantém usinas termelétricas mais caras acionadas

Jornal do Brasil

O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico, ligado ao Ministério de Minas e Energia, decidiu nesta quarta-feira (12), em reunião extraordinária, manter o acionamento de usinas termelétricas mais caras fora da ordem de mérito, pela terceira semana seguida.

A decisão desta quarta-feira vale para as usinas com Custo Variável Unitário até R$ 766,28/MWh e vale para o período de 15 a 21 de setembro.A medida diz respeito a um conjunto de 14 usinas e reafirma decisão tomada pelo CMSE no início do mês, no dia 1° de setembro, quando acionou as usinas, após uma reunião extraordinária e, posteriormente, no dia 5 quando manteve o acionamento.

Segundo nota do comitê, que é responsável por monitorar as condições de abastecimento e o atendimento ao mercado de energia elétrica do país, o principal motivo para manter o despacho das termelétricas é o baixo nível dos reservatórios das hidrelétricas, principal fonte de geração de energia no país.

A medida levou em consideração os atuais níveis de armazenamento dos subsistemas do Sistema Interligado Nacional (SIN) e a perspectiva até o final do mês de novembro de 2018. Também foi realizada uma análise específica do volume dos reservatórios no subsistema Sudeste/Centro-Oeste e também de reservatórios de usinas de cabeceira dos rios Grande e Paranaíba, “visando a garantia de controle da cascata hidráulica e a manutenção da navegabilidade da Hidrovia Tietê-Paraná”, infromou o CMSE.

Previsão meteorológica

O CMSE disse ainda que há previsão meteorológica para os próximos sete dias de precipitações entre o norte da Região Sul e o sul da Região Sudeste. Segundo o comitê, as bacias mais beneficiadas serão Iguaçu, Jacuí e Uruguai, no subsistema Sul.

O Comitê reiterou a garantia do suprimento no ano de 2018 e destacou que há recursos energéticos disponíveis, inclusive além dos montantes já despachados de usinas termelétricas.



Recomendadas para você