Jornal do Brasil

Sexta-feira, 28 de Novembro de 2014

Cardeal Orani Tempesta

Curso para os Bispos

Dom Orani João Tempesta*

Em julho de 1990, com a presença do então Cardeal Joseph Ratzinger, aconteceu o primeiro curso para Bispos no Centro de Estudos e Formação do Sumaré, aqui no Rio de Janeiro. O assunto era “o ministério Petrino em nosso tempo”. Daquela data em diante, com apenas duas exceções, todos os anos temos a alegria de receber nossos irmãos bispos que acolhem o convite para um tempo de convivência fraterna e discussão de algum assunto de interesse comum, com conferencistas que nos ajudam a aprofundar os temas.

Essa tradição foi iniciada pelo Cardeal Eugênio Araujo Sales e continuada com o Cardeal Eusébio Oscar Scheid. Neste ano ocorrerá entre os dias 03 e 07 de fevereiro. O trabalho de organizar este curso anual, contatos com conferencistas e os conteúdos dos temas tem sido de D. Karl Josef Romer, e a organização prática é da Coordenação de Pastoral, Diáconos Permanentes e Seminaristas. O tema escolhido para estes últimos anos tem sido sobre o Concílio Vaticano II. Temos aproveitado para revisitar os documentos do Concílio nas comemorações dos seus 50 anos. A cada ano aproveitamos para aprofundar alguns dos temas dos documentos conciliares. É claro que os conferencistas trazem todos os textos e discussões que se sucederam nestes anos, depois da aprovação e divulgação do documento conciliar. Tem sido de uma riqueza imensa!

Neste ano, teremos a ocasião de aprofundar os temas das missões, da vida consagrada e da missão dos bispos, e consequentemente também do papel do presbítero. Os documentos que servirão de base serão: “Ad gentes”, “PerfectaeCaritatis” e “Christus Dominus”.

Para ajudar nessas reflexões, receberemos em nosso meio dois Senhores Cardeais do Sacro Colégio Cardinalício, sendo que o primeiro, o Eminente Prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, Cardeal Fernando Filoni, terá as suas conferências centradas no documento “Ad Gentes”, tratando do perfil missionário nos dias de hoje. Ressalte-se que esta conferência pretende reforçar a nossa consciência missionária e o compromisso de enviar missionários para as regiões de missões e para os continentes que, no passado, enviaram evangelizadores para o Brasil. É importante notar que muitas novas comunidades enviam missionários para a Europa, que vive uma profunda crise de vocações. Mas os padres diocesanos também devem se empenhar na abertura ao espírito missionário nos países que nos evangelizaram no passado e nas grandes regiões da Amazônia, que precisam de evangelizadores e anunciadores da Palavra de Deus pelo autêntico testemunho de vida, levando os sacramentos e o encontro pessoal com o Cristo.

O segundo Senhor Cardeal presente entre nós será o brasileiro Prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica, Cardeal João Braz Aviz, que apresentará o documento “PerfectaeCharitatis”, acerca das questões ligadas à dimensão vocacional e das questões específicas e experiências recentes da vida religiosa. Sua atuação mundial nesse campo tem sido de uma grande importância para a Igreja e temos certeza de que nos trará importantes reflexões sobre o tema.

Estarão conosco como conferencista um Arcebispo e um bispo. Ainda dentro do assunto da vida religiosa, teremos um brasileiro como terceiro conferencista que é o Senhor Bispo de Garanhuns, Pernambuco, Dom Fernando José Guimarães, que também abordará a questão com relação às experiências e desafios específicos da Vida Consagrada. Ele nos ajudará a ver as implicações e questionamentos desse tema no Brasil de hoje.

O quarto conferencista é o antigo Bispo de Petrópolis, e hoje Arcebispo Metropolitano de Taranto, na Itália, D. Filippo Santoro, que abordará "A missão do bispo à luz do Decreto Conciliar "Christus Dominus". Irá descrever a missão do Bispo em uma Igreja que, desafiada por novas situações, procura novos métodos, novos meios de propagação do Evangelho. Também será estudado o irrenunciável papel do presbítero.

Este curso não tem como finalidade tomar decisões acerca de assuntos prementes e nem votações sobre pontos pastorais. É simplesmente um tempo de reflexão e partilha. A liturgia das horas e a missa diária são os pontos altos desses dias de atualização e troca de experiências. Nestes dias, os Senhores Bispos de várias partes do Brasil têm um especial momento de confraternização, de encontro, e também uma tarde de passeio e de congraçamento em nossas terras cariocas, servindo também para certo descanso.

O Papa Francisco, aqui no Rio de Janeiro, convidou-nos a ter a mesma atitude, modo de viver e comportamento dos pescadores de Aparecida, e a nos seduzir pela simplicidade no trato do governo das Igrejas Particulares: "Há muito para aprender nessa atitude dos pescadores. Uma Igreja que dá espaço ao mistério de Deus; uma Igreja que alberga de tal modo em si mesma esse mistério, que ele possa encantar as pessoas, atraí-las. Somente a beleza de Deus pode atrair. O caminho de Deus é o encanto que atrai. Deus faz-se levar para casa. Ele desperta no homem o desejo de guardá-lo em sua própria vida, na própria casa, em seu coração. Ele desperta em nós o desejo de chamar os vizinhos para dar-lhes a conhecer a sua beleza. A missão nasce precisamente dessa fascinação divina, dessa maravilha do encontro. Falamos de missão, de Igreja missionária. Penso nos pescadores que chamam seus vizinhos para verem o mistério da Virgem. Sem a simplicidade do seu comportamento, a nossa missão está fadada ao fracasso".

E disse ainda que o lugar do Bispo para estar com o seu povo é triplo: ou à frente para indicar o caminho, ou no meio para mantê-lo unido e neutralizar as debandadas, ou então atrás, para evitar que alguém se atrase, mas também, e fundamentalmente, porque o próprio rebanho tem o seu faro para encontrar novos caminhos.”

Caros irmãos bispos, a todos os acolho com grande alegria no Rio de Janeiro! De antemão digo-lhes: sejam muito bem-vindos e obrigado por aceitarem vir a este encontro, que é um serviço que a Igreja do Rio de Janeiro presta como um compromisso fraterno. Aqui tenham consciência de que é extensão de sua casa. Acolho, com grande afeto, a todos: sejam os novos que participam pela primeira vez, sejam os que já costumam vir em outros anos, bem como os caríssimos bispos eméritos nesse belo encontro em que todos nos sentimos protagonistas.

Que o nosso encontro e reflexão no curso nos ajudem nestes tempos que ora vivemos a vivermos como nos acenou o Papa Francisco: que sejamos "capazes de aquecer o coração das pessoas, de caminhar na noite com elas, de dialogar com as suas ilusões e desilusões, de recompor as suas desintegrações”.

A todos os irmãos e irmãs que nos acompanham: peço suas orações por todos nós que estaremos juntos nestes dias. No próximo ano, quando encerrarmos as reflexões do cinquentenário do Concílio Vaticano II, estaremos completando também o jubileu de prata do início desse Curso aqui no Rio de Janeiro.

Louvado seja o Senhor! A Ele toda honra e glória!

*Dom Orani João Tempesta é arcebispo do Rio de Janeiro

Tags: a, acompanham, e irmãs, nos, os irmãos, que, Todos

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.