Jornal do Brasil

Quinta-feira, 17 de Abril de 2014

Cardeal Orani Tempesta

Advento e Maria

Dom Orani João Tempesta

"Ave, cheia de graça, o Senhor é convosco, bendita sois vós entre as mulheres."

Ouvindo as palavras alegres de saudação enviadas pelo arcanjo Gabriel à Virgem Santíssima, eu gostaria de chamar a atenção de todos para a dimensão extraordinária do mistério da vida de Maria. É um momento em que o homem se abre para a ação de Deus e a experiência da Sua proximidade em sua vida.

Neste tempo do Advento, acompanhamos de perto os episódios da vida de Maria. Celebramos suas festas: Imaculada Conceição, Nossa Senhora de Loreto, Nossa Senhora de Guadalupe, esta padroeira da América Latina e Imperatriz da América.

A expressão "cheia de graça" indica a ação específica de Deus, que transforma Maria pela graça e faz dela agradável e preparada para os seus planos. Graça é, aqui, o amor e a bondade de Deus a Maria e através dela a cada um de nós. O Beato Papa João Paulo II em sua Encíclica dedicada à Mãe do Redentor (Redemptoris Mater) enfatizou que Deus deu a Maria a plenitude da graça por causa do amor pela humanidade mergulhada no pecado, para o qual ela tinha que levar o Salvador: "Se a saudação e o nome "cheia de graça" dizem que tudo isso está no contexto da Anunciação do anjo eles se relacionam principalmente com a eleição de Maria como Mãe do Filho de Deus. Simultaneamente, plenitude de graça indica todo o dom sobrenatural de Maria, que está relacionado com o fato de ter sido escolhida e destinada a ser a Mãe de Cristo"(RM 9). A graça é um dom de Deus que Ele dá a Maria com amor por causa de seu Filho amado.

"Ave, cheia de graça, o Senhor é convosco, bendita sois vós entre as mulheres" (Lc 1,28). Durante a Anunciação do Anjo do Senhor, não só revelou a bondade especial de Deus por Maria, mas também anunciou um presente de amizade e intimidade com Deus, nas palavras: "O Senhor está com você." Este dom expressa a presença de Deus na vida de Maria, em seus pensamentos, desejos e ações.

O dom da presença de Deus em sua vida recebeu o povo escolhido do Antigo Testamento para ser capaz de realizar tarefas difíceis e importantes. Garantir a presença de Deus na vida, como foi a dos patriarcas Abraão, Jacó e Moisés, e dos profetas, Elias, Isaías e Ezequiel. Maria goza da presença do Senhor em sua vida como os profetas da Antiga Aliança. Mais, ela traz o Filho de Deus ao mundo. A presença de Deus em sua vida tornou-se para ela uma fonte de força, coragem e alegria.

 A proximidade de Deus na vida de Maria acrescentou coragem de aceitar a Sua vontade para ser a Mãe do Seu Filho. A certeza do Anjo expressa nas palavras: "O Senhor está com você", foi a confirmação de que Deus não abandona o homem a si mesmo, quando Ele confia de seu mensageiro cumprir a tarefa de dizer a Maria: "Não temas, Maria, pois encontraste graça diante de Deus"(Lc 1,30). Só Deus pode proteger e assegurar o futuro do ser humano. Onde Deus está presente, uma pessoa não tem que ter medo do mal. Maria aceita o mistério de ser a Mãe do Filho de Deus, e tornou-se testemunho da proximidade de Deus na vida humana.

Após a saudação, mostra um anjo consolador e, em seguida, diz a Maria: "Eis que conceberá e dará à luz um filho, ao qual porás o nome de Jesus. Ele será grande e será chamado Filho do Altíssimo" (Lc 1,30-32). Anunciação é a manifestação do mistério da Encarnação ao mundo. Representa o início do comunicar-se salvífico de Deus para o homem e toda a sua criação. Quanto à graça de Deus dada ao homem, o Papa João Paulo II, em sua Encíclica Redemptoris Mater, sublinha: "Maria é a cheia de graça, porque a Encarnação do Verbo, na união hipostática do Filho de Deus com a natureza humana, se realiza e se cumpre" (RM 9).

Maria, através do poder do Espírito Santo, que é a promessa e dom do Pai, tornou-se a Mãe do Filho de Deus. Ela tem um amor especial de Deus, mas também corresponde à proposta de um fiat maduro a Deus. A Santíssima Virgem dá-nos hoje uma mensagem especial de apoio, que Deus concede tudo pronto se você concorda em aceitar a Sua vontade. É uma testemunha, como Deus chama as pessoas fracas e frágeis para perseguir grandes planos, como o poder do Espírito Santo faz grandes coisas, permitindo assim um homem simples para levar uma grande missão ao mundo.

Nossa Senhora, que recordamos neste abençoado tempo litúrgico, é um grande poder de Deus, que fala de pessoas pobres. Ela ensina a conversa humilde e confiante com Deus e encoraja a aceitação da Sua vontade. É acontecimento salvífico, que também nos ajuda a reconhecer a presença de Deus e a responder o fiat maduro sobre a sua proposta. Recorda que Deus apoia a sua graça a cada homem que executa a sua vontade, dá-lhe a sua proximidade e intimidade; enche o coração de alegria e amor. Fazer a vontade de Deus e encontrar-se com a Sua proximidade: eis passos importantes neste tempo do Advento que Maria nos sinaliza!

Maria é a única pessoa livre tanto do pecado original como de qualquer pecado pessoal. Na saudação de Maria, o anjo não usa o nome dela, mas a chama de "cheia de graça". A Igreja reconhece que Maria, como Mãe de Deus, foi de uma maneira especial dotada desde o momento da concepção, unida a Ele pela graça.

Este fiat de Maria leva-nos a mostrar como ela se coloca totalmente disponível a fazer a vontade do Senhor. Façamos um paralelo do SIM de Maria com o chamado que Deus apresenta para nós no plano do seu Reino. Também nós devemos dar nossa resposta generosa de entrega total nas mãos de Deus. O Sim de Maria Santíssima se efetivou em cada momento de sua vida, não apenas naquele momento da visita do anjo. Portanto, todos os batizados são chamados a efetivar seu SIM por toda a vida como Maria, entregando-se a Deus. Eis um belo compromisso neste tempo de preparação para o Natal!

Maria abraçou o plano eterno de amor de Deus. Este abraço pleno se estende quando Maria vai até sua prima Isabel em forma de serviço: presença deste plano de amor do Pai. Em cada momento vemos Maria guiada pelo amor. E no madeiro da cruz, quando Jesus a oferece como nossa Mãe, ela aí está intercedendo por nós junto ao seu Filho amado.

Maria foi descobrindo o plano de Deus ao longo de sua vida. Sempre se colocou como a mulher que está a serviço de Deus. Por isso, descobre a cada instante o plano de Deus a seu respeito e dá sua resposta generosa, resposta de amor.

Que a Virgem Maria nos ensine a viver este tempo de preparação próxima para o Natal com a mesma disponibilidade e fé.

*Orani João Tempesta é Arcebispo do Rio de Janeiro 

Tags: cada, guiada, Maria, momento, pelo amor, vemos

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.