Jornal do Brasil

Sábado, 18 de Agosto de 2018 Fundado em 1891

Cultura

Sobrancelhas: a parada da vez na beleza

Jornal do Brasil IESA RODRIGUES*, Especial para o JB

Nestes tempos em que em vez de tratamentos com cremes a beleza exige procedimentos radicais, um dos grandes focos são as sobrancelhas. Consideradas molduras do rosto, fatores de expressão, alvos de estudos de visagismo, já deram fama a estrelas de Hollywood e definiram décadas de beleza.

Alguns exemplos marcantes: Marlene Dietrich, que praticamente apagou seus pelinhos e redesenhou mais acima, para aquele olhar sonhador e sensual. Twiggy e Mary Quant, nos anos 1960, praticamente anulavam, clareando as sobrancelhas. Sophia Loren até hoje redesenha as sobrancelhas perfeitas, insinuadas por trás dos óculos de grau. Brooke Shields e Margaux Hemingway redimiram a mania dos anos 1970 de afinar o desenho, com seus visuais naturais, mais grossos. Nas passarelas desta temporada, a modelo e atriz Cara Delevingne reforçou este estilo. E a brasileira Marina Moschen, que interpretou a guerreira bruxa Selena na novela “Deus salve o rei”, também demonstrou a beleza do rosto com sobrancelhas espessas e escuras.

Musa dos anos do cinema glamoroso, Marlene Dietrich mantinha arcos finos desenhados

Algumas décadas

Esta é a lembrança de Michelli, um dos maquiadores top do Rio: desde que criou o rosto da modelo Maria Mônica para a abertura da novela “Locomotivas”, de 1977, ficou famoso como o autor dos olhos mais bonitos da cidade, foi o pioneiro no olho esfumado, tão copiado atualmente.

“Um dos meus orgulhos é notar que minhas clientes mantêm as sobrancelhas naturais e bonitas. Atualmente, as formas dos anos 1980 e 1990 predominam, mas o make parece ser um acessório menor no conjunto. Isto porque, nos desfiles, a impressão que se tem é de cara lavada”, comenta Michelli, que atende em dias especiais no salão Vitalicia, em Ipanema.

Twiggy, a modelo que clareou as sobrancelhas para destacar os olhos com cílios postiços nos anos 1960

Para ele, a sobrancelha comanda o rosto. A moda atual pede que seja extremamente desenhada, com lápis, em pó ou as pigmentações bem feitas. 

Importante avaliar os modismos: quando surge uma novidade, tanto na beleza como no estilo em geral, é preciso ver se cabe no seu rosto ou no seu tipo.

Estrela do cinema internacional, Brooke Shields impressionou com o formato natural nos anos 1980

Pele não é papel

Uma das profissionais de pigmentação mais experientes não cansa de estudar as novas técnicas de procedimentos: Lu Paravidino avalia cada caso, até chegar à solução certa.

Maquiagem da abertura de “Locomotivas”, anos 1970

“A técnica moderna é a microblading, originária do Japão, onde se chama tebori. Lá, é centenária, feita com bambu. Depois que foi absorvida pelos americanos mudou de nome e passou a ser feita com lâminas especiais, que já têm agulhinhas para furar a pele”, conta Lu.

Parece tatuagem tradicional? A diferença está na profundidade dos cortes, que simularão os pelinhos: antigamente, quem se submetia a esta técnica para redesenhar as sobrancelhas, levava tinta em profundidade, em camadas profundas da pele. Com o tempo, as cores vão oxidando, os traços esverdeiam, o organismo absorve os pigmentos aos poucos. 

Sophia Loren redesenha as sobrancelhas até hoje

O conserto destas sobrancelhas desbotadas ou verdes exige estudos, como pigmentologia e colorimetria.

“Porque, além de um resultado bonito, é preciso ver o tom da pele e dos pelos da pessoa. No Brasil, temos a maior mistura de melaninas, são pelo menos 66 tons de pele! E pele não é papel, é mole, tem relevos, o que dificulta criar a arquitetura dos fios”, detalha Lu, que aponta os russos e os sérvios como os melhores profissionais nestas técnicas.

Grossas e escuras, marca registrada de Cara Delenvigne

Coragem: olha o procedimento

Afinal, o que acontece na micropigmentação com microblading? Após a avaliação da cor da pele e dos pelos, um lápis desenha o formato desejado. A lâmina com microagulhas vai arranhando no local do desenho. Com o pigmento, passa pela cicatrização, volta em 40 dias para retocar. O resultado pode durar de oito meses a dois anos, depende das atividades ou do tipo de pele. Oleosa, ou quem toma muito sol, vive nas piscinas, dura menos. 

Antes, no alto, e depois da microblading

Para Lu e para Michelli, a sobrancelha mais difícil de consertar não é aquela totalmente depilada (dos anos 1970). Ambos concordam: o maior desafio é a cliente que chega com as sobrancelhas esverdeadas, como se fosse uma tatuagem velha.

Marina Moschen, como a guerreira de sobrancelhas marcantes

Dores da beleza

Esta descrição do procedimento pode provocar arrepios, imaginando a dor de ter microagulhinhas arranhando a testa. Segundo Lu Paravidino, “dor é sensação diferente de pessoa para pessoa, não é só físico. Algumas clientes dormem, outras, mesmo de passada a anestesia tópica (em creme) gritam na primeira agulhada! “

Em todo caso, há outras soluções, mais trabalhosas ou que exigem habilidades artísticas, como redesenhar todos os dias os pelinhos com lápis, pintar com tinta especial para sobrancelhas ou passar rímel. Há quem faça implante de cabelos da cabeça. Só que eles crescem, e têm a textura diferente da natural _ imaginem o resultado, ter cachos na testa, em vez de sobrancelhas...

Assim, conclui-se que, antes de qualquer tentativa de ficar mais bonita, como aumentar bumbuns, turbinar peitos ou produzir gominhos, convém conferir o currículo do profissional, perguntar como será feito o trabalho. No mínimo, para não sair com a expressão de palhaço, com sobrancelhas em V invertido. 

Lu Paravidino, profissional de pigmentação



Tags: beleza, comportamento, cultura, estética, jb

Compartilhe: