Jornal do Brasil

Terça-feira, 17 de Julho de 2018 Fundado em 1891

Cultura

Grupo Carmin encena ‘A invenção do Nordeste’ no Sesc Copacabana

Jornal do Brasil MÔNICA LOUREIRO, monica.loureiro@jb.com.br

Foram dois anos de pesquisa sobre os mecanismos estéticos, históricos e culturais que formaram uma visão do Nordeste como um espaço idealizado e alvo de ataques xenófobos para chegar a “Invenção do Nordeste”, espetáculo teatral do grupo Carmin, do Rio Grande do Norte, que estreia hoje no Mezanino do Sesc Copacabana. “O Grupo Carmin faz um teatro que quer dialogar com o mundo, nossas peças não trazem uma assinatura regionalista que geralmente é associada aos grupos no Nordeste. Questionamos os discursos que criaram barreiras para a modernidade da região e os estereótipos que reduzem toda a complexidade de um povo a uma única imagem - e que muitas vezes são uma invenção, assim como a história da própria região”, explica a diretora Quitéria Kelly.

O espetáculo questiona os estereótipos que atingem o povo nordestino

O espetáculo é baseado no livro “A invenção do Nordeste e outras artes” de Durval Muniz de Albuquerque Jr., onde um diretor é contratado por uma grande produtora para selecionar um ator nordestino que possa interpretar com maestria um personagem nordestino. Durante o período de preparação, os candidatos refletem a respeito de sua identidade, cultura, história pessoal e descobrem que ser e viver um personagem nordestino não é tarefa simples. “O que nos seduziu a adaptar o texto do professor Durval foi o fato de que a geração que nasceu em um Nordeste urbanizado e muito distante daquelas imagens dos textos de Graciliano Ramos ou dos filmes de Glauber Rocha não se sente mais confortável em reproduzir estereótipos de um Nordeste arcaico, meio primitivo e brutal que povoam o imaginário do Sul e Sudeste do país”, diz Pablo Capistrano, autor do texto junto a Henrique Fontes.

A peça, que estreou em agosto de 2017 na Casa da Ribeira, em Natal, carrega uma estética clean, em que nada lembra tons e luzes ocres geralmente utilizados em temáticas que remetem à seca e à fome. “A pesquisa do Carmin em teatro documental, investigando a nossa história e a realidade das ruas, explorando as potencialidades do riso que gere reflexão, tem sido um movimento contínuo. Seja pelo uso de uma dramaturgia audiovisual cada vez mais integrada à obra e aos artistas, pelo uso de formas emprestadas de outras linguagens como a do musical, ou das obras de improviso”, diz o ator Henrique Fontes. A diretora complementa: “A dramaturgia própria também é um elemento que tem nos instigado bastante ao longo da trajetória do grupo, aliada aos experimentos com cinema ao vivo e audiovisual como potência dramatúrgica”. 

---------

SERVIÇO

A invenção do Nordeste - Texto de Henrique Fontes e Pablo Capistrano. Direção de Quitéria Kelly. Com Henrique Fontes, Mateus Cardoso e Robson Medeiros. Sesc Copacabana/Mezanino (R. Domingos Ferreira, 160 - Copacabana;

 Tel.: 2547-0156). Qui. a sáb., às 21h. Dom., às 20h. 

R$ 30 e R$ 15. Classificação: 12 anos. Até 29/7.



Tags: arte, caderno b, cultura, nordeste, peça

Compartilhe: