Jornal do Brasil

Quarta-feira, 15 de Agosto de 2018 Fundado em 1891

Cultura

A insônia feito dança

Jornal do Brasil ANDRÉ DUCHIADE (andre.duchiade@jb.com.br)

"O tempo se move de um modo especial no meio da noite”. A frase do escritor japonês Haruki Murakami, do romance “Após o anoitecer” (Companhia das Letras, 2009), é só mais uma em que ele se refere à insônia e aos estados intermediários entre o sono e a vigília, hora de angústia, delírio, meditação e liberdade e um de seus principais temas.

A investigação noturna encontrou eco aqui no Brasil, com a coreógrafa Regina Marina e sua parceira de trabalho há mais de 30 anos Marina Salomon, atriz e dançarina. As duas estreiam hoje o espetáculo  “Naitsu”, literalmente, “noite”, em japonês, na Casa de Cultura Laura Alvim, em Ipanema.  A obra adapta livremente diversas passagens do escritor japonês relativas à vigília noturna e ao universo onírico, em uma obra que definem como um um monólogo-coreográfico. Trechos de Murakami renderam 12 páginas de texto, proferidas em meio a movimentos de dança contemporânea. 

“A insônia é permeada por momentos de sonho, delírios, angústias e reflexões. O espetáculo cria um diálogo entre as várias noites descritas por Murakami e as noites que por vezes nos assaltam”, diz Regina. 

Novo espetáculo de Regina Miranda, estrelado por Marina Salomon, é baseado na obra de Haruki Murakami

Este é o segundo espetáculo de Miranda baseado no autor asiático — em 2016, lançou “Murakami: O leitor de sonhos”, em que Marina dançava ao lado de outros bailarinos. Antes dele, Regina também já coreografou textos de Marguerite Duras, James Joyce e Dante, entre outros. 

O primeiro contato com Murakami veio por Marina, que leu “Dance, dance, dance”, gostou e presenteou Regina com um exemplar. Esta, por sua vez, em seguida foi conferir “Sono”, sobre uma dona de casa que não consegue dormir. Os dois livros foram publicados no Brasil pela Alfaguara/ Objetiva, em 2015. 

Regina salienta que faz dança, não teatro”. A coreografi a, afirma, ocupa posição central na obra. A palavra, por sua vez, aparece sempre “entremeada com o movimento”. De acordo com a coreógrafa, em alguns momentos do espetáculo o verbo “cede ao corpo; em outros, resiste. Há ainda horas que o corpo amplia a palavra, ou mostra o que ela não está dizendo”. 

Marina, que conheceu Regina como sua aluna de dança em 1985, diz que o movimento está sempre presente em sua relação profissional com o texto.”Quando estou decorando as falas, tenho muito mais facilidade quando entendo a cena coreograficamente. Se eu parar e fi car só martelando o texto na cabeça, às vezes travo, quando penso nele como ligado ao movimento, por outro lado, entra rapidamente na minha cabeça e no meu corpo”, afirma.

 A obra, que mais uma vez tem figurino de Luiza Marcier, é a o primeiro trabalho de Regina depois de voltar definitivamente de Nova York, onde morou por 18 anos. Durante o período, a coreógrafa coordenou o setor de arte e cultura do Instituto Laban/Bartenieff, dedicado ao método homônimo de expressão corporal. Ela diz que a decisão se explica porque “agora é o momento em que o Brasil precisa da gente”. 

Serviço 

NAITSU: Noites com Murakami. Casa de Cultura Laura Alvim - Av. Vieira Souto, 176. Tel.:  2332-2016. Sex. e sáb. às 20h30 e dom. às 19h30. Até 8 de julho.  R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia). 55 mins.



Tags: casa de cultura laura alvim, danca, espetaculo, natsu, noites com murakami

Compartilhe: