Jornal do Brasil

Sexta-feira, 25 de Maio de 2018 Fundado em 1891

Cultura

'Desvios de rota', destaca crítica sobre 'A natureza do tempo'

Jornal do Brasil

Muitos carros são mostrados em “A natureza do tempo”’, suas traseiras filmadas ao longo de rodovias, em grua. Abrindo e encerrando dessa forma, além de repetir o plano repetidas vezes, o diretor argelino Karim Moussaoui parece reafirmar ao público sobre o transitório da vida, ao público e aos personagens. Pena que o segundo grupo não tenha esta consciência e se divida em três histórias que se esbarram e versam sobre o sentimento de culpa que pode nascer do inesperado, e em como lidar com fatos transformadores nas nossas vidas. Se tivessem prestado atenção na mensagem que o diretor tenta passar, talvez percebesse que o tempo move tudo de lugar.

Um homem em crise no casamento que assiste a um espancamento e nada faz. Um jovem que precisa levar seu grande amor ao casamento com outro. Um médico que recebe um inusitado pedido de uma vítima de estupro. 

Filme de Moussaoui rea?rma a transitoriedade da vida

A estreia de Moussaoui na direção competiu na mostra Un Certain Regard do Festival de Cannes 2017 e estreia agora, conseguindo manter o interesse pelas três histórias, com belo elenco e situações-limite interessantes filmadas com naturalidade. Sem apresentar diferentes camadas para além dos impasses dos protagonistas, é difícil um envolvimento maior do espectador, ainda que haja uma sedução pelas vias da expectativa.

Ainda assim, as três passagens são sutis demonstrações a respeito de como lidar com o que é irremediável, como se portar diante do rumo traçado e em como nenhuma precipitação surte mais efeito no desenrolar dos acontecimentos do que o poder transformador do tempo. (F.C.)

____________

A NATUREZA DO TEMPO: ** (Regular)

Cotaçõeso Péssimo; * Ruim; ** Regular; *** Bom; **** Muito Bom

____________



Tags: cinema, critica, cultura, filme, regular

Compartilhe: