Jornal do Brasil

Quarta-feira, 18 de Julho de 2018 Fundado em 1891

Cultura

Biblioteca Parque reabre com minibienal da Central do Brasil

Jornal do Brasil MÔNICA RIANI, monica.riani@jb.com.br

Motivo de orgulho da cidade, a Biblioteca Parque Estadual da Av. Presidente Vargas, detentora de 175 mil títulos, erguida em 15 mil metros, volta a funcionar por quatro dias, após quase dois anos de portas fechadas, muitos protestos e farta indignação. Por graça e obra, ou melhor, obras literárias de 306 autores, o equipamento cultural deve receber até 90 mil pessoas de hoje a domingo, gente ávida por histórias querendo participar do 2º LER - Salão Carioca do Livro, que promoverá uma maratona de 44 horas de literatura reunindo poetas, atores, escritores, jornalistas e escritores que vão integrar nove módulos da programação, inteiramente grátis.

Os curadores do Salão Carioca do LivroVolnei Canônica, Julio Silveira,Lucas Rizzeto e Verônica Lessa

A minibienal da Central do Brasil contará com a participação de Ruy Castro, Nei Lopes, Fabrício Carpinejar, Fernanda Young, Bráulio Tavares, Arthur Dapieve, Thalita Rebouças, André Dahmer, Lázaro Ramos, para citar alguns dos nomes de várias searas da escrita que irão participar do projeto idealizado por um grupo de curadores, formado por Julio Silveira, Lucas Rizzeto, Verônica Lessa e Volnei Canônica. A primeira edição do projeto aconteceu em 2016 no Pier Mauá, atraindo 84 mil pessoas.

Segundo Juca Ribeiro, superintendente de Leitura e Conhecimento do governo estadual, após o evento, a Biblioteca Parque retomará suas atividades a partir do dia 28. “A ideia é que, progressivamente, os serviços da instituição comecem a ser regularizados. De todo modo, nossa expectativa é a melhor possível, ao podermos oferecer à população o Salão Carioca do Livro”, declara.

O projeto abre as portas com mais de 15 mil pré-inscritos via internet nos nove módulos de atividades, que acontecerão em todo o prédio da biblioteca e no pátio interno também. A programação conta ainda com espaços temáticos, que promovem encontros entre público e convidados. Entre eles, estão: o Espaço Cesgranrio, Espaço #Jovem, Palco da Palavra, Jardim Literário para crianças, Café do Livro, Salão Digital e o Salão do Livro, com editoras e livrarias. No sábado, no Salão Digital, um dos destaques da agenda é o debate “Fake news! Como combater as notícias falsas e os fatos alternativos na era da pós-verdade”, às 14h, com os jornalistas Claudio Soares e Leo Cazes.

A periferia também entra na programação. Hoje, o ex-jogador de basquete e professor de Educação Física Wanderson Geremias leva os alunos do Ponto da Palavra “Cultura na cesta” para a programação do Sarau. O projeto, fundado no Cesarão, em Santa Cruz, em 2005, tem ramificações em Seropédica, Florianópolis e Curitiba. “Vamos participar do Ler para mostrar um pouco mais do Ponto da Palavra, que constituímos para, entre outras atividades, alfabetizar os participantes do projeto, que se originou através do basquete free-style”, conta Geremias. Atualmente, 80 crianças e jovens entre oito e 17 anos participam da iniciativa. “A participação incluirá poesia em torno do hip hop, funk e do próprio basquete que muitos dos integrantes desenvolvem”, diz o coordenador. 

Wanderson Geremias: Ponto da Palavra

Destaques da programação

O Salão Carioca do Livro, que começa hoje e termina no domingo, tem uma série de atividades programadas ao longo do dia, em diversos espaços, de maneira a atender a leitores de diferentes gerações e preferências. Há palestras, debates, salas de ofcina, saraus, contação de histórias e encontros do público com autores renomados. 

A programação será aberta a partir das 10h, com Dinâmicas literárias (Espaço Cesgranrio), oficina de caricatura (Salas de oficina), Projeto Ponto da Palavra, com Wanderson Geremias, crianças e jovens da Zona Oeste e Remissão da pena pela leitura (Palco Sarau), “Costurando histórias”, com Anna Claudia Ramos e Luciana Savaget (Literatura infantil), oficina “Quando ficção e realidade se misturam”, com Flavia Cortes e Sandra Pina (Jovem Estácio). 

Elisa Lucinda aborda o universo feminino

No Café do Livro, das 14h30 às 15h20, sob o título “Memórias reprimidas”, Guiomar de Grammont e Matheus Leitão que irão falar sobre as marcas da guerrilha do Araguaia e de outros enfrentamentos violentos no regime militar, contadas do ponto de vista dos parentes que sobreviveram, com mediação de Julio Silveira. E, ainda, às 15h, no módulo “Narrativas marginais”, haverá lançamento de livros e oficinas de contação de história com Marcelo Goulart (“A lenda do funk”), Stela Caputo (“Os meninos João Cândido”) e Alessandra Matarollo (“As aventuras de uma criança Downadinha”).

Ruy Castro fala hoje, às 20h, sobre a técnica de escrever biografias

A poeta Elisa Lucinda vai falar sobre “Literatura e empoderamento” (16h), Viviane Mosé abordará “A relação entre cultura e educação” (19h) e Ruy Castro discorrerá sobre “A arte e a técnica de escrever biografias” (20h).

Para amanhã está marcado o debate sobre as políticas públicas e de referência para o tema e o Sistema Estadual de Bibliotecas – SEB (10h), a mesa sobre “Desafios e perspectivas para festas e feiras literárias do Rio”, composta por representantes da Flip, Flup, Flidam, Flipe, Ler e Flir (10h30). Também às 10h30, Lázaro Ramos e Maurício Negro falarão ao público sobre “Rimas e não rimas: o jogo das palavras e imagens” (Literatura infantil).

Luiz Antônio Simas participa de debates

O debate sobre “A importância social e a poética do samba” reunirá Nelson Sargento, Martinho da Villa e Luiz Antônio Simas, às 14h, no Espaço Cesgranrio, enquanto Nei Lopes apresentará no Palco da Palavra a obra “O preto que falava iídiche”.

Entre 15h30 e 16h20, no Café do Livro, está programado o “Samba social”, em que Neil Lopes e Luiz Antonio Simas, coautores do premiado “Dicionário da história social do samba”, falam sobre raízes e ramificações da mais ampla expressão da identidade carioca, com mediação de Raphael Vidal.

Geovani Martins: sábado no Café do Livro

Entre 18h15 e 19h30, Andrea Beltrão, Amir Haddad e Armando Babaioff ocuparão o Espaço Cesgranrio, com “Ensaiando Shakespeare”.

Logo em seguida, a partir das 19h45 e até 20h45, o público terá a oportunidade de ouvir Marcia Tiburi sobre o tema “Literatura e empoderamento”, no Espaço Cesgranrio.

-----------------------

Serviço 

Ler – Salão Carioca do Livro • Abertura hoje, às 10h • Até 20/5 • Das 10h às 21h • Biblioteca Parque Estadual (Av. Pres. Vargas, 1261 - Centro) • Grátis



Tags: biblioteca parque, leitura, livros, minibienal, reabertura

Compartilhe: