Jornal do Brasil

Sábado, 21 de Julho de 2018 Fundado em 1891

Cultura

'Deixa clarear - Musical sobre Clara Nunes' reabre oficialmente teatro que a cantora construiu

Jornal do Brasil MÔNICA RIANI (monica.riani@jb.com.br)

Inaugurado em 11 de maio de 1977, o Teatro Clara Nunes ganha outra data histórica esta semana. Todo reformado, o espaço será reaberto oficialmente por “Deixa clarear -  Musical sobre Clara Nunes”, que ficará em cartaz de 22 de março (quinta) a 1º de abril.  O teatro foi o primeiro a ter o nome de uma cantora no Brasil. A atriz Clara Santhana, que concebeu o musical e interpreta a sambista, diz estar muito feliz em ter concretizado este sonho: “Apresentar a peça no mesmo palco em que Clara Nunes atuou é uma honra. Ela era uma pessoa engajada, que construiu o teatro para dar espaço aos artistas, principalmente os da MPB. Além da emoção, o musical tem um significado forte, pois ´Deixa clarear´ estreou nos 30 anos de sua morte e, agora, encerramos a temporada na Gávea dia 1º de abril, um antes de se completar 35 anos que ela partiu”, destaca Clara Santhana. 

A atriz é acompanhada por João Paulo Bittencourt (violão), Gustavo Pereira (cavaco/percussão), Pedro Paes (clarinete/sax) e Michel Nascimento (percussão),  sob a  direção musical de Alfredo Del Penho. No roteiro, entre os sucessos da carreira de Clara Nunes, estão “Na linha do mar” (Paulinho da Viola), “Morena de Angola” (Chico Buarque), “Um ser de luz” (João Nogueira/Paulo Cesar Pinheiro/Mauro Duarte), “O mar serenou” (Candeia) e “A deusa dos orixás” (Romildo e Toninho). 

A atriz Clara Santhana em cena na homenagem à cantora Clara Nunes, que morreu em 1983

A montagem tem roteiro de Marcia Zanelatto, direção de Isaac Bernat e os figurinos são assinados por Desirée Bastos. Ultrapassou a marca de 200 mil espectadores e foi visto por pessoas das mais variadas idades pelo país. “Nossa ideia é apresentar o legado da cantora para as novas gerações. E, a cada temporada, venho percebendo o encanto de crianças e jovens por sua música”, diz. 

O teatro localizado na Gávea foi aberto com o antológico show “O canto das três raças”, muito prestigiado pela crítica à epoca e assistido pelo numeroso público da artista mineira, que faleceu em 2 de abril de 1983. O musical em sua homenagem será apresentado agora no espaço que passou por uma reforma estrutural, a primeira desde que abriu.  Entre as melhorias, estão o aumento da capacidade  (743 lugares, incluindo espaço para cadeirantes e assentos para obesos); instalações  mais confortáveis no camarim e um moderno sistema para a bilheteria. 

O musical marca ainda a estreia de um novo projeto do Teatro Clara Nunes, a “Matinê teatral”, com sessões todas as quintas, às 17h, voltada principalmente para o público de Terceira Idade. 

‘Sucesso, aqui vou eu’ 

Além de “Deixa clarear - Musical de Clara Nunes”, o Teatro Clara Nunes recebe uma breve temporada do monólogo “Sucesso, aqui vou eu”, a partir de amanhã. Com texto e direção de Sandro Rabello, o espetáculo é protagonizado por Adrén Alves. “Somos paraibanos, cantores e fizemos a travessia do Nordeste ao Sudeste em busca de fazer e viver da sua arte, o resto é mera coincidência ou pura ficção do autor”, brinca Adrén, comparando a sua trajetória com a do personagem Gaudêncio. 

Premiado pela atuação  no musical “Suassuna - O auto do Reino do Sol” com os troféus Cesgranrio e Botequim Cultural de melhor ator e indicado ao Shell na mesma categoria, Adrén é integrante  da Cia Barca dos Corações Partidos.  “O fato de ser indicado a tantos prêmios me dá uma alegria muito grande e mostra que alcancei o coração do espectador. E este é o maior desafio do ator, fazer com que a palavra tenha mais vida do que o arquétipo da personagem”, diz. 

“Sucesso, aqui vou eu” é uma retomada após dez anos da estreia. “Senti a necessidade de contar e cantar esse monólogo de novo, que continua atual. Reviver Galdênio me remete um pouco aos 15 anos em que moro no Rio, e reforça o acerto na minha escolha em morar na cidade”, conta Adrén. Animado com essa volta da comédia aos palcos, Adrén espera poder fazer outras temporadas. “Ainda este ano  montaremos ‘Macunaíma’ com direção de Bia Lessa. A estreia está prevista para outubro”, avisa Adrén.

Serviço 

“Deixa Clarear - Espetáculo musical sobre Clara Nunes” 

Idealização e atuação de Clara Santhana. 

Texto de Marcia Zanelatto. 

Direção de Isaac Bernat. 

Direção musical de Alfredo Del Penho. 

Temporada:  22/3 a 1/4. 

Quintas, às 17h. Sextas e sábados, às 21h. Domingos, às 20h. 

Ingressos: Quinta - R$ 70 e R$ 35 (meia). 

Sexta a domingo - R$ 80 e R$ 40 (meia). 

Duração: 1h15 

Classificação indicativa: Livre

“Sucesso, aqui vou eu”  

Texto e direção de Sandro Rabello. 

Com Adrén Alves. 

Quartas-feiras (21 e 28/3), às 21h. 

Ingressos: R$ 60 e R$ 30 (meia). 

Duração: 1h20 

Classificação indicativa: 16 anos 

Teatro Clara Nunes (Rua Marquês de São Vicente, 52/Shopping da Gávea) 

Tel: (21) 2274-9696 

Lotação: 743 pessoas 

Funcionamento da bilheteria: Diariamente, das 13h às 21h.



Tags: clara nunes, gavea, guerreira, musical, shopping da gavea

Compartilhe: