Jornal do Brasil

Quinta-feira, 19 de Abril de 2018 Fundado em 1891

Cultura

Academia de Hollywood investiga seu presidente por assédio sexual

Jornal do Brasil

O presidente da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos Estados Unidos, que atribui o Oscar, é alvo de uma investigação interna, depois de ser alvo de três acusações de assédio sexual, reportaram veículos americanos nesta sexta-feira (16).

Citando fontes próximas ao caso, a emissora CBS e a revista especializada Variety indicaram que a Academia recebeu na quarta-feira três acusações contra John Bailey e abriu uma investigação imediatamente.

Em resposta a perguntas da AFP, a Academia limitou-se a afirmar que "trata todas as denúncias de forma confidencial para proteger todas as partes".

"A comissão de membros examina todas as denúncias contra membros da Academia em função de nossas regras de conduta, e após este exame, submete suas conclusões ao conselho de governadores", destacou em sua declaração.

Bailey, diretor de fotografia de 75 anos, foi nomeado para presidir a instituição em agosto de 2017 para um mandato de quatro anos.

John Bailey é alvo de três acusações de assédio sexual

Seu até agora curto mandato foi marcado pelo surgimento do movimento #MeToo, iniciado pela atriz Alyssa Milano e que ganhou o mundo, enfatizando denúncias de abuso sexual.

Harvey Weinstein, cujo estúdio, Miramax, esteve por trás dos campeões de bilheteria "Shakespeare apaixonado" e "Pulp Fiction - Tempo de violência", foi expulso da Academia em outubro após ser acusado por dezenas de mulheres por assédio e abuso sexual.

Em fevereiro passado, durante um almoço com os indicados deste ano ao Oscar, Bailey prometeu que na Academia "há uma tomada maior de consciência e responsabilidade para equilibrar gênero, raça, etnias e religião", assim como "pulverizar no esquecimento" os "piores abusos" de Hollywood.

Agência AFP


Tags: assedio, harvey weinstein, hollywood, john bailey, metoo, oscar

Compartilhe: