Jornal do Brasil

Quinta-feira, 18 de Janeiro de 2018 Fundado em 1891

Cultura

Ícones da cozinha italiana dão adeus a Gualtiero Marchesi

Funeral do chef foi realizado nesta sexta, em igreja de Milão

Agência ANSA

Os principais nomes da gastronomia italiana se reuniram nesta sexta-feira (29), na igreja de Santa Maria do Sufrágio, em Milão, para o funeral do chef Gualtiero Marchesi, morto na última terça (26), aos 87 anos.

Massimo Bottura, Davide Oldani, Iginio Massari, Daniel Canzian, Pietro Leemann, Antonino Cannavacciuolo e Nadia Santini, entre outros, deram seu adeus ao fundador da "nova cozinha italiana", primeiro de seu país a receber três estrelas do Guia Michelin.

"[Marchesi] Nos deixou um grande exemplo de vida, aquele de perseverar e não se render nunca, foi um símbolo, incentivou a cozinha e a cultura italianas, unindo o bom ao belo", disse Massari, confeiteiro famoso por seus programas na televisão.

O corpo do chef foi sepultado no cemitério de San Zenone al Po, a 60 quilômetros de Milão, ao lado do túmulo de sua esposa, Antonietta, morta em junho passado.

Perfil

Tido como um dos fundadores da "nova gastronomia italiana", Marchesi nasceu em Milão, em 19 de março de 1930, filho de pais donos de restaurante, o que abriu as portas da cozinha para ele. Após a Segunda Guerra Mundial, frequentou uma escola de hotelaria em Lucerna, na Suíça, e, mais tarde, aperfeiçoou seus conhecimentos em Paris.

Seu primeiro restaurante foi fundado em 1977, e um ano depois o chef já ganharia sua primeira estrela do Guia Michelin. Em 1987, o estabelecimento de Marchesi se tornou o primeiro da Itália a obter três estrelas da publicação francesa.

Em junho de 2008, ele criticou publicamente o sistema de pontuação do guia e renunciou às duas estrelas que tinha na ocasião, afirmando que queria apenas um comentário sobre seu trabalho, e não pontos.

Marchesi ainda fundou, em 2006, a Scuola Internazionale di Cucina Italiana (Alma), com sede em Colorno, na província de Parma. Ele permaneceu na reitoria da instituição até outubro passado. O chef também possuía um restaurante no Grand Hotel Tremezzo, às margens do Lago de Como, e o "Thirty-Nine", no Principado de Mônaco. 

Tags: cultura, funeral, gastronomia, internacional, italia

Compartilhe: