Jornal do Brasil

Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

Cultura

Príncipe herdeiro saudita seria comprador de 'Salvator Mundi'

Quadro de Da Vinci foi leiloado por US$ 450 milhões em novembro

Agência ANSA

O príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, líder de facto do país, seria o verdadeiro comprador do quadro "Salvator Mundi", de Leonardo da Vinci, leiloado pelo valor recorde de US$ 450,3 milhões (R$ 1,5 bilhão, segundo a cotação atual) em novembro passado.

A informação é do jornal norte-americano "The Washington Post", que cita fontes dos serviços de inteligência dos Estados Unidos e um personagem do mundo da arte saudita que acompanhou a aquisição.

Pintura é a mais cara da história da arte
Pintura é a mais cara da história da arte

Anteriormente, o jornal "The New York Times" já havia afirmado que outro príncipe do país árabe, Bader bin Abdullah bin Mohammed bin Farhan al Saud, amigo de Bin Salman, seria o comprador do quadro, que retrata Jesus Cristo segurando uma bola de cristal na mão.

"Salvator Mundi" se tornou a obra de arte mais cara já leiloada na história, o que surpreendeu até a Christie's, casa responsável pela venda. O quadro deve ser exposto na filial do Museu do Louvre em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, país aliado da Arábia Saudita na região.

Apesar de ser príncipe herdeiro, Bin Salman, 32 anos, é considerado o líder de facto da nação, devido à elevada idade do rei Salman, 81. Ele se vende como um "reformista" moderado e vem dando diversas demonstrações de força nos últimos meses, como a prisão de dezenas de políticos e membros da família real acusados de corrupção.

O ato foi visto como um expurgo do príncipe contra possíveis rivais na disputa pelo trono. Bin Salman também estaria por trás da renúncia - já revogada - do primeiro-ministro do Líbano, Saad Hariri, que tem laços profundos com a Arábia Saudita.

Tags: arte, artes plásticas, cultura, da vinci, leilão, pintura

Compartilhe: