Jornal do Brasil

Quinta-feira, 23 de Novembro de 2017

Cultura

Visitas aos museus italianos tem 'boom' entre 2013 e 2016

Foram arrecadados 50 milhões de euros a mais no período

Agência ANSA

Os números de visitantes aos museus estatais italianos teve um verdadeiro boom entre os anos de 2013 e 2016, mostrou o ministro dos Bens Culturais, Dario Franceschini, na abertura de uma reunião com os diretores das entidades italianas nesta segunda-feira (13).

No período, houve uma alta de arrecadação de 50 milhões de euros com ingressos no período, uma alta de 34,8% na comparação com os três anos anteriores. Já os visitantes passaram de 38,4 milhões em 2013 para 45,5% no ano passado (alta de 18,5%).

Apesar de ainda não ter sido fechado o balanço de 2017, a tendência de alta é ainda perceptível e o governo estima alcançar os 50 milhões de visitantes já neste ano.

Por regiões, Lazio é a que mais registrou visitas, com 20,3 milhões de turistas em 2016 (eram 17,7 milhões em 2013), com arrecadação de 67,6 milhões de euros (contra 55,2 milhões em 2013).

Uma surpresa veio no segundo lugar das mais visitadas: a Campânia superou a Toscana e registrou oito milhões de visitantes (alta de 32,6%) em 2016 contra os seis milhões confirmados em 2013. Já a arrecadação na Campânia, graças também ao boom no sítio arqueológico de Pompeia, no Palácio Reggia di Caserta, no Museu de Capodimonte e do Museu Arquelógico de Nápoles, superaram os 41,7 milhões de euros - contra 28,7 milhões em 2013.

De acordo com Franceschini, uma das responsáveis por esse aumento foi a reforma feita ainda durante o governo do premier Matteo Renzi, em 2014, que gradativamente vem mudando e reorganizando a gestão dos museus controlados pelo Estado.

Prova disso é alta registrada nos 30 museus que já contam com maior autonomia e que passaram pela reforma. Eles registraram uma alta de 28,4% no valor arrecadado com ingressos e, juntos, somam 19,3 milhões de visitantes. 

Tags: arrecadação, arte, cultura, movimentação, visitas

Compartilhe: