Jornal do Brasil

Segunda-feira, 20 de Novembro de 2017

Cultura

Diretor italiano Fausto Brizzi é acusado de assédio

Brizzi disse que nunca teve relação 'sem consentimento'

Agência ANSA

O diretor italiano Fausto Brizzi, 48 anos, foi alvo de ao menos 10 denúncias de assédio e/ou abusos sexuais de atrizes durante um programa de televisão na Itália neste fim de semana.

O apresentador do "Le Iene", uma espécie de "CQC" italiano, Dino Giarusso, informou que das 30 pessoas que eles entrevistaram, 10 delas acusavam o diretor de ser o autor do abuso.

"Há ainda outros nomes, os personagens seriam muitos, e nós não queremos voltar só para Brizzi, mas um terço das entrevistadas falava dele", disse Giarusso após a repercussão do programa. Ele ainda informou que, após a veiculação da matéria, "dezenas de e-mails" chegaram à redação com novas acusações.

O ator e apresentador destacou ainda que as entrevistadas "não se conheciam", mas que "impressionou como as histórias eram similares". A maior parte delas manteve sua identidade preservada, com exceção da ex-Miss Itália 2014 Clarissa Marchese e da modelo Alessandra Giulia Bassi.

Todas contaram o mesmo modus operandi: um "estúdio adaptado em casa" onde as jovens eram convidadas para trabalhos e as primeiras tentativas de assédio vinham através de "convites de massagens". A insistência de Brizzi continuava para ter "um contato físico cada vez maior" e, depois, os "modos eram sempre mais agressivos".

Segundo alguns dos relatos, o diretor se apresentava "completamente nu" e tentava se aproximar de maneira mais agressiva a cada vez. Uma delas relatou que "tentou mostrar resistência" e que teve uma relação "completamente imobilizada, não lembrava de nada direito".

Ao serem questionadas sobre os motivos que as fizeram não denunciar, o medo era a resposta mais presente. "Eu não tive coragem de falar para minha família, falei só pra minha mãe, mas nós pensamos: se a gente denunciar, não vamos ter dinheiro para pagar o processo", relatou uma das vítimas.

Outra afirmou que se "sentia envergonhada como uma ladra, tinha medo de ninguém acreditar em mim". Outra relatou que "alguns dos que trabalhavam comigo me aconselharam a não denunciar".

Durante o programa, Giarusso informou que a produção tentou entrar em conta com Brizzi "de todas as maneiras". Após o programa, no entanto, o diretor divulgou uma nota através de seus advogados e informou que "em referência à transmissão do 'Le Iene', rebato que nunca tive relações sem consentimento". 

Tags: assedio, cinema, cultura, diretor, internacional, italia

Compartilhe: