Jornal do Brasil

Quinta-feira, 23 de Novembro de 2017

Cultura

Caixa Cultural do Rio exibe Álbum Jazz de Matisse

Jornal do Brasil

A Caixa Cultural inaugura no dia 24 de outubro, às 19h, a exposição  'Henri Matisse – Jazz', com curadoria de Anna Paola Baptista. Serão apresentadas as 20 pranchas do álbum Jazz, obra síntese da segunda parte da carreira do pintor, desenhista e escultor Henri Matisse nos anos 1940.

A partir deste periodo passou a dedicar-se exclusivamente a técnica dos papiers découpés (cut outs), os desenhos com tesoura, nos quais criava diretamente nos papéis coloridos com guache.

Na noite de inauguração acontecerá uma visita guiada com a curadora.

Henri Matisse: Jazz - O coração
Henri Matisse: Jazz - O coração

O albúm Jazz foi impresso a partir dos originais recortados, com supervisão do próprio Matisse. As imagens variam da abstração a figuras de grande vivacidade que abordam assuntos ligados ao circo, contos populares e viagens, com ritmo e improvisação identificáveis aos sons de uma orquestra de jazz. O processo de edição do álbum foi iniciado em 1942 e o artista levou cinco anos para conclui-lo. 'Jazz' foi lançado simultaneamente em Paris e no Rio de Janeiro em 1947. O exemplar exibido é o de número 196 e integra ao acervo dos Museus Castro Maya.

De acordo com o crítico de arte Paulo Herkenhoff, o belíssimo conjunto de desenhos feitos com tesoura se destaca como “o mais belo livro de arte do século XX”. A técnica foi desenvolvida por Matisse no início da década de 1940, quando, obrigado a passar longos períodos na cama e na cadeira de rodas em recuperação de uma delicada cirurgia. O artista combinou desenho e pintura em colagens. Matisse já havia utilizado os chamados papiers collés para o estudo da obra La danse (1909), mas foi a cumplicidade do editor e crítico Tériade que o incentivou a realizar um álbum só com papéis recortados, trabalho que mais tarde foi considerado como uma de suas obras mais importantes.

Sobre Matisse

Henri Matisse: Jazz - O circo
Henri Matisse: Jazz - O circo

O pintor francês Henri Matisse nasceu em 1869 em Le Cateau-Cambrésis, no norte da França. Iniciou o curso de Direito em Paris em 1988, logo abandonado para estudar pintura e desenho na Academia Julián e  na Escola de Belas Artes de Paris.

É considerado por críticos e historiadores um dos mais importantes e revolucionários artistas de seu tempo. Ao lado de Pablo Picasso tornou-se artista síntese da arte moderna no século 20, liberta da necessidade de imitar a realidade.

Influenciado por  Paul Cézanne, Paul Gauguin e Vicent Van Gogh, foi líder do movimento chamado Fauvismo (1901-1908), termo inicialmente pejorativo que caracterizava os artistas como bestas selvagens (fauves) escandalizando o público com as cores intensas de suas obras.

No início da década de 1940 com seus movimentos reduzidos em decorrência de um câncer e impedido de pintar, Matisse inventou a técnica dos papiers découpés (cut outs), os desenhos com tesoura, nos quais criava diretamente nos papéis coloridos.

Dessa forma, Matisse reinventou sua arte e sua carreira produzindo centenas de obras extraordinárias. O álbum Jazz, de 1947, que será na Caixa Cultural Rio de Janeiro, é o ápice desta criação.

Serviço: Exposição Henri Matisse – Jazz

Abertura: 24 de outubro, às 19h, incluindo visita guiada com curadora Ana Paola Baptista

Visitação: 25 de outubro a 22 de dezembro, de terça-feira a domingo, das 10h às 21h

Local: Caixa Cultural Rio de Janeiro (Galeria 1) - Av. Almirante Barroso, 25, Centro do Rio

Classificação Indicativa: Livre

Entrada franca

Mais informações: (21) 3980-3815

Tags: criação, cut outs, fauvismo.técnica, henri matisse, papiers découpés, tesoura, ápice

Compartilhe: