Jornal do Brasil

Sexta-feira, 20 de Abril de 2018 Fundado em 1891

Cultura

Mostra da Caixa Cultural do Rio apresenta panorama do cinema cubano recente

Jornal do Brasil

Um panorama dos últimos 15 anos da produção cinematográfica em Cuba chega à Caixa Cultural Rio de Janeiro na mostra Por dentro da Ilha — Cinema em Cuba nos anos 2000, que acontece de 1º a 13 de agosto de 2017. Serão exibidos 22 filmes — nove longas-metragens e os demais médias ou curtas — em uma seleção que prima pela diversidade de gênero e de olhares. Embora a maioria dos filmes seja de diretores cubanos, há espaço também para estrangeiros que possuem estreita relação com o país, como os brasileiros Gustavo Vinagre e Janaína Marques e a espanhola Irene Gutiérrez. O projeto tem patrocínio da Caixa Econômica Federal e do Governo Federal.

'Hotel Nueva Isla' (2014), de Irene Gutiérrez, será exibido no dia 3 de agosto

A programação inclui filmes bem recebidos em festivais em Cuba, como Digna Guerra (2013), de Marcel Beltrán, ganhador do prêmio de melhor direção e melhor edição na Mostra Jovem de 2013; e também trabalhos já reconhecidos, como o longa Veneza (2014), de Kiki Álvares, selecionado em festivais em Toronto, Miami e Guadalajara. Também haverá uma sessão em homenagem a Nicolás Guillén Landrián, importante documentarista cubano ainda pouco conhecido no mundo.

Landrián produziu, nos anos 60, documentários marcados por forte crítica ao regime, o que levou à sua expulsão do órgão estatal onde trabalhava e posterior exílio nos Estados Unidos. Sua obra revela uma visão de vanguarda, ainda transgressora nos dias de hoje. A sessão traz dois curtas do cineasta, Coffea Arabiga (1968) e Los del Baile (1965), seguidos de um documentário sobre sua vida, Cafe con Leche (2003), dirigido por Manuel Zayas. 

"Há temas que são recorrentes, como a imigração, o envelhecimento arquitetônico de Havana e questões relacionadas ao sistema político. Mesmo assim, escuto muito de novos autores que querem falar de outras coisas, mas que, como cubanos, se sentem pressionados a sempre girar em torno dos mesmos temas. Por isso, nessa mostra buscamos diversidade de formas e temas, além de privilegiar a exibição de filmes de ficção ou híbridos", explica a curadora Denise Kelm, que atualmente vive em Cuba.

O cinema cubano sempre teve papel importante na história do país, que realiza o Festival de Havana e abriga, desde 1986, a Escuela Internacional de Cine y Televisión de San Antonio de los Baños, onde estuda a curadora da mostra. Tomás Gutierrez Alea e Fernando Pérez são exemplos de cineastas reconhecidos, porém, a rica produção atual é pouco conhecida fora da Ilha.

A mostra, aliás, só se torna possível graças ao intercâmbio pessoal entre a curadora e os realizadores locais, já que a troca de informações com o resto do mundo segue sendo difícil para quem está na Ilha. Denise descobriu que o cinema independente cubano tem ganhado cada vez mais força, o que é curioso quando se trata de um país com difícil acesso à tecnologia e com rigoroso controle dos meios de produção pelo estado — todos os filmes são obrigados a passar pelo Instituto Cubano del Arte e Industria Cinematográficos (ICAIC), órgão oficial do governo. 

Debate:

A mostra promove também o debate Em épocas de mudanças, o que falar sobre o cinema cubano?, no dia 4 de agosto (sexta-feira), às 19h10, com a presença dos cineastas Iana Cossoy Paro e Víctor Alexis Guerrero Stoliar, e mediação do crítico de cinema e produtor da mostra Aristeu Araújo. Já no dia 12 (sábado), também às 19h10, Denise Kelm ministra a palestra A experiência de filmar dentro da Ilha. Ambas as atividades acontecem no Cinema 1 da CAIXA Cultural Rio de Janeiro, com entrada franca e ingressos distribuídos uma hora antes do início. 

Programação: 

01 de agosto (terça-feira) 

19h – Veneza (2013), de Kiki Álvares, 74 min, Digital, 14 anos 

02 de agosto (quarta-feira) 17h10 – Sessão Curtas Documentários 

Abecé (2013), de Diana Montero, 15 min, Digital, Livre 

La Carga (2015), de Víctor Alexis Guerrero Stoliar, 24 min, Digital, Livre 

Nos Quedamos (2009), de Armando Capó, 14 min, Digital, Livre 

O Inimigo (2015), de Aldemar Matias, 26 min, Digital, Livre 

19h – La Obra del Siglo (2015), de Carlos Quintela, 100 min, Digital, 16 anos 

03 de agosto (quinta-feira) 

17h10 – Hotel Nueva Isla (2014), de Irene Gutiérrez, 71 min, Digital, Livre 

19h10 – Sessão Marcel Beltrán 

Cuerda al Aire (2011), de Marcel Beltrán, Digital, Livre 

Digna Guerra (2013), de Marcel Beltrán, Digital, Livre 

04 de agosto (sexta-feira) 

16h30 – Memorias del Desarrollo (2010), de Miguel Coyula, 113 min, Digital, 16 anos 

19h10 – Debate Em épocas de mudanças, o que falar sobre o cinema cubano?, com a presença dos cineastas Iana Cossoy Paro e Víctor Alexis Guerrero Stoliar e mediação do crítico de cinema Aristeu Araújo 

05 de agosto (sábado) 

15h40 – Sessão Homenagem a Nicolás Guillén Landrián 

Coffea Arabiga (1968), de Nicolás Guillén Landrián, 18 min, Digital, Livre 

Los del Baile (1965), de Nicolás Guillén Landrián, 6 min, Digital, Livre 

Cafe con Leche (2003), Manuel Zayas, 28 min, Digital, Livre 

17h – Soy Cuba, o Mamute Siberiano (2005), de Vicente Ferráz, 90 min, Digital, 10 anos 

19h10 – Juan de Los Muertos (2012), de Alejandro Brugés, 92 min, Digital, 12 anos 

06 de agosto (domingo) 

14h30 – La piscina (2011), de Carlos Quintela, 65 min, Digital, Livre 

16h – Sessão Curtas Ficções/Híbridos 

Los Anfitriones (2011), de Miguel Ángel Moulet, 16 min, Digital, 12 anos 

Polski (2015), de Rubén R. Cuauhtemoc, 20 min, Digital, Livre 

Sirenas (2015), de Maryulis Alfonso, 20 min, Digital, Livre 

Los Minutos, Las Horas (2009), de Janaína Marqués, 11 min, Digital, Livre 

La Llamada (2014), de Gustavo Vinagre, 19 min, Digital, Livre 

18h – Jirafas (2013), de Kiki Álvarez, 90 min, Digital, 16 anos 

08 de agosto (terça-feira) 

17h – Sessão Curtas Ficções/Híbridos 

Los Anfitriones (2011), de Miguel Ángel Moulet, 16 min, Digital, 12 anos 

Polski (2015), de Rubén R. Cuauhtemoc, 20 min, Digital, Livre 

Sirenas (2015), de Maryulis Alfonso, 20 min, Digital, Livre 

Los Minutos, Las Horas (2009), de Janaína Marqués, 11 min, Digital, Livre 

La Llamada (2014), de Gustavo Vinagre, 19 min, Digital, Livre 

19h – Hotel Nueva Isla (2014), de Irene Gutiérrez, 71 min, Digital, Livre 

09 de agosto (quarta-feira) 

17h – Soy Cuba, o Mamute Siberiano (2005), de Vicente Ferráz, 90 min, Digital, 10 anos 

19h – Memorias del Desarrollo (2010), de Miguel Coyula, 113 min, Digital, 16 anos 

10 de agosto (quinta-feira) 

17h – Juan de Los Muertos (2012), de Alejandro Brugés, 92 min, Digital, 12 anos 

19h10 – La Piscina (2011), de Carlos Quintela, 65 min, Digital, Livre 

11 de agosto (sexta-feira) 

17h – Jirafas (2013), de Kiki Álvarez, 90 min, Digital, 16 anos 

19h10 – Sessão Homenagem a Nicolás Guillén Landrián 

Coffea Arabiga (1968), de Nicolás Guillén Landrián, 18 min, Digital, Livre 

Los del Baile (1965), de Nicolás Guillén Landrián, 6 min, Digital, Livre 

Cafe con Leche (2003), Manuel Zayas, 28 min, Digital, Livre 

12 de agosto (sábado) 

15h10 – Sessão Curtas Documentários 

Abecé (2013), de Diana Montero, 15 min, Digital, Livre

La Carga (2015), de Víctor Alexis Guerrero Stoliar, 24 min, Digital, Livre 

Nos Quedamos (2009), de Armando Capó, 14 min, Digital, Livre 

O Inimigo (2015), de Aldemar Matias, 26 min, Digital, Livre 

17h – Sessão Marcel Beltrán 

Cuerda al Aire (2011), de Marcel Beltrán, 33 min, Digital, Livre 

Digna Guerra (2013), de Marcel Beltrán, 57 min, Digital, Livre 

19h10 – Palestra A experiência de filmar por dentro da Ilha, com curadora da mostra Denise Kelm 

13 de agosto (domingo) 

16h15 – Veneza (2013), de Kiki Álvares, 74 min, Digital, 14 anos 

18h – La Obra del Siglo (2015), de Carlos Quintela, 100 min, Digital, 16 anos 



Tags: arte, caixa cultural, cinema, cuba, cultura, debate, filmes, mostra

Compartilhe: