Jornal do Brasil

Segunda-feira, 29 de Agosto de 2016

Cultura

Debate marca o lançamento do livro 'Guilherme Vaz: uma fração do infinito'

Obra retrata trajetória de um dos mais completos artistas brasileiros

Jornal do Brasil

'Guilherme Vaz – uma fração do infinito' é o título do livro, que também assina a exposição retrospectiva de 50 anos de trabalho do artista multimeios, músico experimental, maestro, pensador e integrante das vanguardas dos anos 1970, em cartaz no CCBB-Rio até 4 de abril. A exposição reúne 41 obras que contemplam os diversos suportes utilizados pelo artista, como a instalação, objetos sonoros, instruções, desenhos, partituras, performances e parte de sua produção musical.

Para marcar o lançamento da edição será realizado na quarta-feira, 24 de fevereiro, às 18h30, no auditório do CCBB-Rio, no quarto andar, um debate entre Franz Manata, curador da mostra, Marisa Flórido César, crítica de arte e Luiz Guilherme Vergara, diretor do MAC Niterói. Serão abordados  aspectos da produção artística de Guilherme, com destaque para o seu papel na introdução da arte conceitual e sonora no Brasil.

Debate marca o lançamento do livro 'Guilherme Vaz: uma fração do infinito'.
Debate marca o lançamento do livro 'Guilherme Vaz: uma fração do infinito'.

A edição bilíngüe do livro (português-inglês), com 320 páginas, oferece ao leitor uma visão global da obra de Guilherme Vaz. Organizada cronologicamente, apresenta importantes ensaios da curadoria, de críticos convidados, textos do artista, trabalhos e registros dos trabalhos em exibição na mostra, além de um ensaio do fotógrafo e artista Pedro Victor Brandão sobre a exposição. 

Os textos do curador Franz Manata tratam da construção do pensamento artístico de Vaz; o primeiro, chamado 'O vento sem mestre', é um ensaio que procura entender a construção de seu pensamento, associado às questões estéticas de seu tempo; um segundo, em parceria com Caio Neves, curador assistente, entitulado 'Eu sou o que posso ser', coloca a fala do artista em primeiro plano, e foi produzido a partir de sua produção oral e escrita; e, no terceiro texto 'Notas curatoriais'  curador compartilha seu processo de pesquisa, organização do trabalho e os percursos que o levaram até a mostra apresentada e a edição do livro.

Entre os autores presentes no livro estão a crítica e historiadora em Artes Marisa Flórido Cesar, com ensaio sobre a formação da arte contemporânea entre a década de 1965-75; Suzana Reck Miranda, que aborda a primeira trilha sonora de música concreta no cinema brasileiro – criada por Guilherme para o filme 'Fome de Amor' de Nelson Pereira dos Santos – e sua importância para o cinema; e ainda o ensaio escrito pelo músico, compositor e filósofo J.-P. Caron sobre a trajetória do maestro Guilherme Vaz. 

Serviço: 'Guilherme Vaz: uma fração do infinito'

Livro bilíngue (português-inglês), 320 páginas, formato 27x21cm, R$120

Editora: EXST

Projeto gráfico: André Len

Lançamento do livro e debate: quarta-feira, 24 de fevereiro, às 18h30

Local: Auditório do 4º andar do CCBB-Rio  - Rua Primeiro de Março, 66 – Centro

Mais informações: (21) 3808-2020 ou http://www.bb.com.br/cultura/

Tags: experimental, livro, multimeios, retrospectiva, vanguarda

Compartilhe: