Jornal do Brasil

Sábado, 21 de Outubro de 2017

Cultura

Festival Mix Brasil de cultura e diversidade acontece em São Paulo, este mês

São mais de 150 filmes nacionais e internacionais

Jornal do Brasil

De 13 a 23 de novembro São Paulo recebe o 22° Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade - maior festival LGBT da América Latina. O evento terá programação especial no Centro Cultural São Paulo (CCSP) - onde acontecerão exibições de filmes, teatro, música, leitura dramática, performances, dança e intervenções culturais, e também nas salas do CINESESC, Espaço Itaú de Cinema - Augusta e sessões open air.  Em toda a programação comunidade LGBT e simpatizantes pagam meia-entrada.

O longa, inédito, "Algo a Romper" (Something Must Break, Suécia/2014) de Ester Martin Bergsmark, vencedor do Festival Internacional de Cinema de Roterdã, Frameline Film Festival, Outfest e do Queer Lisboa, abrirá no dia 13 de novembro, com a presença da diretora, o Mix Brasil 2014.  O filme conta a história da batalha pelo amor entre dois jovens, sendo um deles Sebastian, andrógino, e Andreas, que não é gay.

O Panorama Internacional, seção do evento dedicada à exibição de novas produções, apresenta longas-metragens e documentários que estão circulando em festivais internacionais de cinema e no circuito LGBT. Destaques para "Xenia" (Grécia, França, Bélgica/2014) de Panos H. Koutras, "Nan Goldin - Lembro do seu Rosto"(Alemanha, Austrália, Suíça/2013) de Sabine Lidl, "Mommy" (Canadá/ 2014) de Xavier Dolan, candidato a melhor filme estrangeiro pelo Canadá, que acompanha o comovente e complicado relacionamento entre uma mãe meio amalucada e seu filho adolescente hiperativo, que não consegue se controlar. Entre os documentários, está o indicado por Portugal para o Oscar de melhor filme estrangeiro. "E Agora? - Lembra-me" (Portugal/ 2013) de Joaquim Pinto. Convivendo com o HIV e a hepatite C há quase 20 anos, o diretor Joaquim Pinto documenta sua experiência por clínicas clandestinas onde, durante um ano, fez uso de drogas ainda não aprovadas para o tratamento do vírus.

No circuito nacional, o Festival Mix Brasil traz uma novidade: o prêmio Coelho de Ouro para o melhor longa/média-metragem brasileiro. Os concorrentes são "Favela Gay" de Rodrigo Felha, "Castanha" de Davi Pretto, "Hipóteses - Entre o Amor e a Verdade" de Rodolfo Vázquez García, "Batguano" de Tavinho Teixeira, "Cássia" de Paulo Henrique Fontenelle, "Verona" de Marcelo Caetano, "Nova Dubai" de Gustavo Vinagre, "De Gravata e Unha Vermelha" de Miriam Chnaiderman, "Para Sempre Teu, Caio F." de Candé Salles e"Gazelle - The Love Issue" de Cesar Terranova. Este último, que fará sua Première Mundial no Festival, conta a história de Paulo Araújo, comissário de bordo de 45 anos que se transforma em seu alter-ego Gazelle.

 O Mix apresenta este ano sua maior seleção de curtas-metragens nacionais, escolhidos entre as mais de 300 inscrições recebidas em 2014. Entre a Mostra Competitiva e os programas especiais de curtas, mais de 50 trabalhos brasileiros reforçam a programação, que ainda conta com uma seleção especial de curtas britânicos e um programa para bears.

Vários convidados internacionais estarão na 22° edição do Mix Brasil. Entre eles, Guinevere Turner, atriz e roteirista americana de "Go Fish - O Par Perfeito" (EUA) de Rose Troche, vencedor do Teddy Bear do Festival de Berlim em 1994 e atriz de "Quem Tem Medo de Vagina Wolf?"de Anna Margarita Albelo (EUA), ambos programados para esta edição do festival, Antony Hickling, diretor francês do longa "Respirando Fundo", Todd Verow e Charles Lum, diretores do longa "Dando No Couro (EUA) e de dois episódios de "Fucking Different New York" e "Fucking Different XXX". O festival contando também com a presença especial de Colby Keller, artista, escritor,blogger, vlogger e porn star, ator do curta "Zolushka (Cinderela)".

O festival organiza ainda a mostra  Pioneiros do Cinema Homoerótico, uma homenagem especial aos cineastas Wakefield Poole e Peter de Rome, grandes contadores de histórias eróticas das décadas de 60, 70 e 80. Recentemente redescobertos, seus filmes transitavam entre o artístico e o sexualmente explícito, em uma época em que a pornografia gay era considerada ilegal.

Mais uma vez o Mix Brasil traz diversas atrações que envolvem teatro, dança música, literatura, performances e novos talentos. Uma das grandes atrações deste ano é o espetáculo de dança contemporânea "Blood", do dançarino brasileiro Jean Abreu - que acontece nos dias 15 e 16 de novembro no CCSP. É a primeira vez que "Blood", criado por Jean, especialmente a pedido da Royal Opera House, uma das principais casas de espetáculos de Londres, se apresenta fora da Inglaterra.

A programação completa estará disponível no site www.mixbrasil.org.br

 

Tags: cinema, cultura, diversidade, mix, são paulo

Compartilhe: