Jornal do Brasil

Sábado, 25 de Outubro de 2014

Cultura

Peça Casa da Morte, sobre ditadura na Argentina, estreia nesta sexta

Jornal do Brasil

 Casa da Morte é um vertiginoso texto teatral sobre os anos de chumbo da ditadura do general Pinochet, na Argentina. A peça foi escrita pelo dramaturgo espanhol Fermín Cabal e estreia dia 8 de agosto, às 19h, no Espaço Sesc, em Copacabana.

O drama reúne depoimentos de médicos que trabalharam para o regime, além de uma coveira, uma companheira de cela de Canarinho e a própria falando sobre seus momentos finais. A hábil dramaturgia de Fermín Cabal dá ao espectador um quadro, negro por si, mas de composição refinada, sobre a época.  A montagem de Casa da Morte é uma realização da companhia Teatro do Pequeno Gesto, sob a direção de Antonio Guedes. No elenco estão Fernanda Maia, Marcos França e Priscila Amorim. A dramaturgia é de Fátima Saadi, cenários de  Doris Rollemberg, figurinos de Mauro Leite. Amora Pêra e Paula Leal completam a ficha técnica assinando a criação de uma instalação sonora. A temporada vai até 31 de agosto, de sexta a domingo.

O texto dá ao espectador um quadro negro por si, mas de composição refinada, sobre a época
O texto dá ao espectador um quadro negro por si, mas de composição refinada, sobre a época

Os 50 anos do golpe militar no Brasil motivaram a encenação de Casa da Morte, cujo título original é Tejas Verdes. “Hoje, ao pensar na relação entre a História e a literatura baseada em fatos históricos, podemos sublinhar, em ambos, a necessidade de construir, para além da distância no tempo, uma estrutura que permita pensar sobre o tema, isto é, construir um ponto de vista e, a partir dele, produzir articulações e recortes. Por ocasião dos 50 anos do golpe militar de 1964, nossa ideia é propor uma reflexão sobre violência e cidadania. É preciso lembrar, reconstituir, revelar e pensar a respeito da ditadura que se instalou não somente no Brasil, mas em vários países da América Latina, para que isso não se repita e para que seja sempre e cada vez mais valorizada a construção democrática empreendida após a saída dos militares do poder”, destaca Fátima Saadi.

A montagem de Casa da Morte dá continuidade à pesquisa que o Teatro do Pequeno Gesto faz sobre a narrativa como estrutura fundamental do espetáculo. “Como pano de fundo, vamos trabalhar com imagens de manifestações políticas e de violência policial do passado e do presente. Esperamos, com isso, aludir ao momento atual no qual a polícia revela, mais uma vez, toda a brutalidade e a arbitrariedade que caracterizam nosso passado. Pretendemos, dessa forma, lançar um convite à reflexão sobre a cidadania em tempos de Democracia. Sem querer fazer uma comparação entre a ditadura do passado e a democracia do presente, refletir sobre o conceito de cidadania parece ser o principal tema num momento em que o Estado age contra o direito de manifestação; alguns segmentos da população, sob o pretexto de expressar seu descontentamento, atuam com violência, em especial contra os bens públicos e, principalmente, a mídia orienta uma interpretação na qual os partidos oficiais estão financiando a violência”, finaliza Antonio Guedes.

O espaço Sesc localiza-se na Rua Domingos Ferreira, 160 - Copacabana. O preço do ingresso é de R$ 20 a inteira. Mais informações: 21 2547-0156 

Tags: Argentina, casa da morte, copacabana, cultura, ditadura, espaço sesc, peça, pinochet, Rio, RJ, teatro

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.