Jornal do Brasil

Quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

Cultura

Ana Costa canta a lusofonia de Martinho da Vila no Espaço Furnas

Jornal do Brasil

No show “Pelos Caminhos do Som”, Ana Costa faz um recorte vibrante da obra lusófona do mestre Martinho da Vila, compositor eclético, pesquisador incansável dos variados ritmos brasileiros e considerado o embaixador da música brasileira dos países de língua portuguesa. A proposta do show - a ser realizado nos dias 2 e 3 de agosto, com entrada franca, no Espaço Furnas Cultural - é chamar a atenção para a importância da criação de Martinho, que propôs o chamado “traço de união” entre as nações de língua portuguesa, misturando sambas que estão no imaginário de todo nós com canções que foram menos divulgadas. 

A cantora Ana Costa fala (e canta!) com propriedade o repertório de Martinho, tamanha é a identificação que desenvolveu com a obra do pai das cantoras Mart’nália, Analimar Ventapane e Maíra Freitas, também pianista, amigas de Ana de longa data. 

Ana Costa
Ana Costa

“Esse show foi pensado à partir do CD ‘Lusofonia’, lançado em 2000, no qual Martinho exalta a música e a cultura dos países lusófonos, mas também exalta as belezas do nosso país. São composições de Angola, Moçambique, Portugal e Timor Leste que o Martinho releu e criou versões. É fato que vemos alguma semelhança entre as músicas deles e a nossa e o show é resultado desse flerte do Martinho. Desde os anos 80, ele viaja todos os anos para esses e outros países de língua portuguesa a fim de garimpar as suas preciosidades sonoras”, diz Ana Costa. 

No roteiro, “Fazendo as malas” (de Martinho e Rildo Hora), “Samba dos ancestrais” (dele com a saudosa Rosinha de Valença), a recente “Filosofia de vida” (feita a seis mãos com Marcelinho Moreira e Fred Camacho), as famosas “Odilé odilá” (parceria dele com João Bosco, que Ana Costa regravou no Sambabook do Martinho), “Traço de união” (mais uma da dupla Martinho/ João Bosco), “Canta canta, minha gente” e “Madalena do Jucú”, uma versão dele para uma cantiga de domínio público. Esta última foi registrada no clássico “O canto das lavadeiras”, de 1989, um disco inspirado no folclore brasileiro. A faixa que nomeia o projeto, “Pelos caminhos do som”, também saiu desse elepê antológico. 

A cantora estará acompanhada por Julio Florindo (contrabaixo e direção musical), Maurício Massunaga (no violão, na guitarra e no bandolim), Alessandro Cardozo (no cavaquinho), Daniel Félix (na percussão) e André Manhãs (na bateria). A direção artística e a concepção musical são de Bianca Calcagni e Ana Costa. 

ANA COSTA EM “PELOS CAMINHOS DO SOM”

QUANDO: dias 2 (sábado), às 20h, e 3 de agosto (domingo), às 19h

ONDE: Espaço Furnas Cultural - Rua Real Grandeza, 219, em Botafogo

QUANTO: Entrada franca, com retirada de senhas no local a partir das 14h dos dias dos shows. É obrigatória a apresentação de documento com foto

Tags: Ana, apresentação, Costa, música, show

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.