Jornal do Brasil

Quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

Cultura

Mostra Surrealismo e Vanguardas entra em cartaz nesta quarta no CCBB Rio

Centro Cultural amplia imersão no surrealismo de Dalí com mostra de cinema inédita

Jornal do Brasil

Em cartaz de 23 de julho a 11 de agosto, a mostra "Surrealismo e Vanguarda" traz ao Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro mais de 50 títulos, entre curtas e longas metragens, que vão oferecer ao público, junto com a exposição de Salvador Dali, a oportunidade de se aprofundar no movimento surrealista.

A exposição de 150 obras do pintor catalão já é um sucesso de público e, agora, seu universo poderá ser desvendado também no campo cinematográfico, na maior retrospectiva de filmes surrealistas e de vanguarda já realizada na cidade. A mostra traz, entre outros destaques, Um Cão Andaluz (1928), roteiro de Dalí e Luis Buñuel.

Rio de Janeiro recebe sua maior retrospectiva de filmes surrealistas e de vanguarda
Rio de Janeiro recebe sua maior retrospectiva de filmes surrealistas e de vanguarda

No total, serão três semanas de exibição que pretendem mostrar a vanguarda histórica surrealista no cinema, como também sua influência em filmes avant-garde e experimentais após a Segunda Guerra Mundial.

Entre os filmes do período do surrealismo (1920 a 1930) estão em cartaz obras como Entr'acte (1924), colaboração entre René Clair e Francis Picabia; Le Coquille et le Clergymen (1927), de Germaine Dulac; Le Retour à la Raison (1923), Le Etoile de Mer (1928) e Les Chutes des Mystères du Chatêau do Dé (1929), de Man Ray; Anemic Cinema (1925), de Marcel Duchamp; com todos filmes presentes na mostra, além de A Idade de Ouro (1930), de Buñuel.

A influência atravessou gerações e continentes, o que também é contemplado na mostra com a exibição de filmes como Meshes of Afternoon (1943), At Land (1944) e Ritual in Transfigured Time (1946), de Maya Deren e nos curtas-metragens experimentais de Joseph Cornell (Rose Hobart), James Broughton (The Bed, The Cage) e Sidney Peterson (The Petrified Dog, The Potted Psalm).

"O cinema surrealismo e dadaísmo é um movimento histórico limitado, e, tem certas correntes que nem mesmo o consideram um movimento em si. Mas, a influência é maior do que os filmes que foram produzidos neste período. Eles tentam fugir do comum. Nesta mostra buscamos juntar os clássicos como Luís Buñuel, Marcel Duchamp, com os que sofreram esta influência como Joseph Cornell, Jean Genet e Maya Deren. Um misto de um cinema ainda desconhecido, e muito importante", explicou um dos curadores da mostra, Paulo Ricardo Gonçalves de Almeida.

Surrealismo e Vanguarda tem apoio do Consulado da França no Rio de Janeiro e dos acervos do Centre Georges Pompidou e da LightCone, ambos da França, e da Canyon Cinema e Anthology Film Archive, dos EUA.

A programação completa está disponível no endereço eletrônico http://culturabancodobrasil.com.br/portal/surrealismo-e-vanguardas/.

Debate

No dia 8 de agosto, no CCBB Rio, será realizado um debate com os críticos de cinema Luiz Fernando Gallego e Cristiana Miranda.

Mostra Surrealismo e Vanguarda

De 23 de julho a 11 de agosto | de quarta a segunda  (exceto as terças), entre 14h e 20h

Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro

Rua Primeiro de Março, 66, Centro, Rio de Janeiro (RJ)

R$ 4 (meia-entrada R$ 2)

Tags: ccbb, cinema, rené clair, surrealismo, um cão andaluz

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.