Jornal do Brasil

Quinta-feira, 2 de Outubro de 2014

Cultura

“Fita Misturada ao Vivo” vai reunir 13 estrelas do rap lusófono

Jornal do Brasil

 O ponto alto do Festival Terra do Rap será o Fita Misturada Ao Vivo, que vai reunir no palco do SESI Centro, na noite de 31 de julho, os 13 artistas de destaque na cena do hip-hop do Brasil, de Portugal e de Angola selecionados para esta segunda edição. A fim de celebrar a união entre as nações da língua portuguesa, os rappers vão apresentar um show inédito, feito uma mixtape criada ao vivo. O show será o resultado de 3 encontros dentro de um estúdio, que acontecerão nos dias anteriores (28, 29 e 30, num estúdio na Barra da Tijuca). 

Os 13 artistas do Festival Terra do Rap são oriundos de seis cidades (Luanda, Rio de Janeiro, São Paulo, Fortaleza, Lisboa e Porto) e 3 países (Angola, Brasil e Portugal). “Na seleção, avaliei a relevância e o discurso de cada artista no seu país de origem. Todos têm histórias de vida e arte interessantes. O Kid MC, por exemplo, mobilizou 20 mil pessoas numa praça de Angola, às 4h30 da madrugada, para autografar CD. Já o português Sam The Kid, líder do Orelha Negra, é o maior rapper de Portugal e estamos negociando com ele desde a primeira edição”, diz Vinicius Terra, um dos idealizadores do festival (ao lado de Cleide Fonte, sua sócia no coletivo de cultura urbana REPPRODUTORA) e considerado pelos seus pares o embaixador do rap lusófono no Brasil.

Vinicius Terra
Vinicius Terra

As atrações da segunda edição do Terra do Rap são: Eva RapDiva e Kid Mc (de Angola); De Leve, Don-L, Funkero, Nino Leal, Rodrigo Ogi, Vinicius Terra e Bob-X (do Brasil); Capicua, Mundo Segundo, Sam The Kid e Sr. Alfaiate (de Portugal). A grande novidade será o lançamento do primeiro CD do grupo Projecto BPM, formado há um ano, numa turnê em Portugal, por representantes de três países da CPLP: o brasileiro Vinicius Terra, o português Mundo Segundo e o luso caboverdiano Sr. Alfaiate. O nome significa ‘Brasil Portugal Misturados’, mas também pode ser entendido como uma brincadeira com a sigla de ‘Batidas Por Minuto’.

“Estamos felizes de realizar novamente o Festival Terra do Rap, que começou pequenininho no ano passado e volta agora, com mais visibilidade. As nossas principais motivações são fomentar a indústria criativa e estimular a fruição da cultura urbana lusófona. Também temos como meta promover o debate sobre as transformações da nossa língua sob a ótica do rap e propiciar o diálogo entre artistas de países onde o português é o idioma oficial”, resume Vinicius.

E no dia 1 de agosto, teremos, ainda:

Feira de Vinil (1 de agosto, das 17h às 21h, na Rua Pedro Lessa, que fica no quarteirão entre as Avenidas Rio Branco e Graça Aranha, no Centro do Rio) - feira ao ar livre para amantes do vinil, com a presença de dezenas de expositores, vendendo raridades a preços acessíveis. Ao longo do dia, a feira ocupará a rua encerrando ao festival, com a presença de deejays e rappers, além do lançamento do CD “Projecto BPM”, formado por nomes de destaque dos três países. E mais:

·      Intervenção:  Slam Poetry;

·      Dança com: Funkeados Crew e convidados;

·      Música com: Projecto BPM, Moustrack e convidados, CCRP e convidados; 

·      Deejays: Saddam, Soul e MB Groove 

·      Apresentadoras: Sistah Mo Respect e Dj Tamy Reis. 

Entre os dias 18 e 25 de julho, o Festival Terra do Rap está circulando pelas unidades do SESI de Duque de Caxias, Macaé, Campos de Goytacazes e Itaperuna promovendo workshops, performances artísticas e pocket shows com rappers dos três países e artistas locais na Caravana Rap Lusófono. Integrante do X-Tudo Cultural, patrocinado pelo Sistema FIRJAN, o evento versa sobre a cultura hip-hop promovida entre países que falam a língua portuguesa. 

SERVIÇO:

QUANDO: 31 de julho, das 19h às 22h

ONDE: Teatro SESI – CENTRO (Avenida Graça Aranha, 1, Centro, Rio de Janeiro. Informações:

(21) 2563.4163 / 2563.4164

QUANTO: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada)

Tags: apresentação, música, rap, show, vivo

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.