Jornal do Brasil

Domingo, 23 de Novembro de 2014

Cultura

Greve da Cultura: servidores realizam vigília e assembleia nesta quinta

Jornal do Brasil

Os servidores do Ministério da Cultura (MinC) e órgãos vinculados estão esperando uma reunião em Brasília, com o Ministério da Cultura - e talvez com a presença do Planejamento, como consta no site do sindicato. Enquanto isso, no Rio, profissionais do Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Federal do Estado do Rio de Janeiro (Sintrasef) realizam vigília e assembleia nesta quinta-feira (3), no Palácio Gustavo Capanema, no Centro.

>>Servidores da Cultura podem voltar à greve

>>Depois de decisão judicial, governo vai receber grevistas da Cultura

A negociação só aconteceu depois de uma proposta judicial do Ministro Napoleão Nunes Maia Filho, que pediu uma reunião com negociações, do contrário tornaria a greve legal. No site, eles afirmam "A reunião foi confirmada nesta terça-feira (1/7), quando o governo finalmente acatou a proposta de Maia Filho e enviou comunicado à Condsef. A proposta de Maia Filho foi feita no dia 18 de junho. Ele pedia que os servidores suspendessem a greve até o acontecimento da reunião. Ainda pela proposta de Napoleão, se o governo não apresentar propostas concretas na reunião do dia 3, a liminar do início de junho será revogada e os servidores terão legitimidade para retornarem à greve nacional".

Apesar de pedir uma reunião para negociações, na liminar não foi explicitado que ela deveria acontecer entre o Ministério de Planejamento, que pode tomar decisões relativas à orçamento. Assim, a reunião foi marcada pelo Ministério da Cultura. Ainda assim, o Sintrasef recebeu informações de que representantes do Planejamento estariam presentes, informação que não foi confirmada pelo Ministério do Planejamento.

O principal pedido dos grevistas é o cumprimento de acordos feito em 2005, 2007 e 2011, que implementam um plano de carreira. Eles também querem maior investimento na cultura. Segundo os próprios grevistas, o histórico de cumprimento de acordos do governo não é bom. Por exemplo, o Plano Especial de Cargos da Cultura e Gratificação Específica de Atividade Cultural, instituído pelo projeto de Lei 11.233, de 2004, nunca foi cumprido. Por isso, os grevistas querem que se crie um projeto de lei urgente ou uma emenda constitucional que sirvam como garantias de que o plano de carreira será implementado.

Tags: cultura, greve, greve da cultura, minc, ministerio planejamento, ministro napoleão, sintrasef

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.