Jornal do Brasil

Quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

Cultura

Prêmio Marcantonio Vilaça comemora dez anos com edição especial

Jornal do Brasil

Edição especial do Prêmio CNI SESI SENAI Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas celebra os dez anos do projeto com a inauguração de duas mostras comemorativas no dia 29 de maio no Museu Histórico Nacional, no Rio de Janeiro. Na noite de abertura das exposições, Inventário da paixão e Cor, luz e movimento, também será dada a largada da 5ª edição do prêmio com a divulgação do novo regulamento para os próximos anos.

Entre as inovações que serão apresentadas pelo atual curador e coordenador geral, Marcus de Lontra Costa, está o aumento do valor da bolsa de pesquisa conferida a cada um dos cinco artistas vencedores, que passa de R$ 30 mil para R$ 40 mil; e a ampliação do sistema de premiação, se torna mais plural com a inclusão de curadorias regionais no júri de seleção e uma exposição com trabalhos com os 30 artistas pré-selecionados.

Além dessas novidades, uma inédita premiação para curadores emergentes passa a integrar o Prêmio CNI SESI SENAI Marcantonio Vilaça, que se constitui uma das maiores ações de apoio do setor privado à arte brasileira. O novo formato propõe ainda ênfase especial aos processos pedagógicos que possibilitem a qualificação de trabalhadores, professores e estudantes por meio de ações que unam criatividade artística e pesquisa tecnológica.

INVENTÁRIO DA PAIXÃO

As duas mostras comemorativas dessa edição especial reavivam as intenções que motivaram a Confederação Nacional da Indústria (CNI), o SESI e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), a criarem o prêmio, em 2004. A panorâmica Inventário da paixão é uma homenagem ao galerista Marcantonio Vilaça, patrono do prêmio, que reúne 66 obras de 36 artistas surgidos a partir dos anos 80 e que tiveram mais projeção em suas trajetórias profissionais depois do trabalho em parceria com Marcantonio.

Beatriz Milhazes, Adriana Varejão, Angelo Venosa, Luiz Zerbini e Cildo Meireles são alguns desses expoentes aliados a um expressivo núcleo de artistas internacionais, cujos trabalhos passaram a ser mais conhecidos no Brasil devido à ação de intercâmbio artístico realizada pelo galerista (veja lista completa abaixo). "A impactante presença dessas obras juntas em um mesmo espaço físico, com sua variedade de linguagens e propostas estéticas constitui um vibrante painel da arte no Brasil e no mundo e refletem a personalidade exuberante e inquieta daquele que empresta o seu nome à nossa iniciativa", comenta Lontra.

ARTE INDÚSTRIA

As relações entre processos de criação artística e produção industrial são acentuadas no recém criado projeto Arte Indústria que acompanhará todas as edições do prêmio.  A série se inicia com a coletiva Cor, luz e movimento em homenagem ao artista Abraham Palatnik (1928). A partir de trabalhos do pioneiro da arte cinética brasileira, diversos artistas estabelecem pontos de contato com o conjunto de sua obra. A mostra apresenta uma sala especial com oito trabalhos de Palatnik e 38 obras de 14 artistas que se relacionam com sua poética. Entre eles Ana Linnemann, Eduardo Coimbra, Deneir e Emygdio de Barros. (Veja a lista completa abaixo). Para o idealizador da exposição, o projeto parte do pressuposto de que o aspecto definidor da arte do século 20 está na instigante relação entre o artista e a máquina.

EDIÇÃO ESPECIAL DO PRÊMIO MARCANTONIO VILAÇA

 

Exposição Cor, luz e movimento

Projeto Arte Indústria

Abraham Palatnik | Ana Linnemann | Arthur Amora | Braga Tepi | Bruno Borne | Carlos Krauz | Carlos Pertuis | Claudio Alvarez | Deneir | Eduardo Coimbra | Emygdio de Barros | Fernando Diniz | Luiz Hermano | Robson | Wagner Malta Tavares.

 

Exposição Inventário da paixão

Adriana Varejão | Angelo Venosa | Beatriz Milhazes | Barrão (Plano B) | Cildo Meireles | Daniel Senise | Efrain Almeida | Ernesto Neto | Francis Allys | Gilvan Samico | Helio Oiticica | Hildebrando de Castro | Iran do Espírito Santo | Jac Leirner   | José Damasceno | José Resende | Leda Catunda | José Leonilson | Lia Menna Barreto | Luiz Zerbini | Lygia Pape | Maurício Ruiz | Mauro Piva | Nuno Ramos | Rivane Neuschwander | Rosangela Rennó | Valeska Soares | Vik Muniz

Anselm Kiefer (Alemanha) | Cindy Sherman (Estados Unidos) | Guillermo Kuitca (Argentina) | Julião Sarmento (Portugal) | Mona Hatoum (Líbano) | Antonio Hernández-Diez (Venezuela) | Pedro Croft (Portugal) | Pedro Cabrita Reis (Portugal)

Abertura 29 de maio

De 30 de maio a 13 de julho de 2014

 

Museu Histórico Nacional

Praça Marechal Ancora s/n (próximo à Praça XV) Centro

Tel. 21 3299-0300

 

Funcionamento

Terça a sexta: 10h às 17h30

Sábado, domingos e feriados: 14h às 18h

Ingressos:

Terça a sábado: R$8,00

Domingos: Entrada gratuita

Livre para todos os públicos.

Tags: Arte, cultura, Exposições, museu, Rio

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.