Jornal do Brasil

Sexta-feira, 21 de Novembro de 2014

Cultura

Rio de Janeiro será, em maio, a capital mundial das harpas

Jornal do Brasil

Em 2014, O Rio de Janeiro não será só a capital mundial da Copa do Mundo. Será transformado, antes, na capital do IX RioHarpFestival.  De 1 a 31 de maio, será possível contemplar, gratuitamente, 140 concertos de harpa, em importantes espaços culturais e pontos turísticos da Cidade Maravilhosa.

Os recitais serão conduzidos por mais de 100 músicos, sendo 45 harpistas de 25 países, nos mais importantes espaços culturais e pontos turísticos brasileiros, como Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), Centro Cultural Justiça Federal (CCJF), Museu do Exército, Centro Cultural Light, Museu Histórico Nacional, Corcovado, Jockey Club, Palácio São Clemente, Biblioteca Nacional e Ilha Fiscal. 

As musicistas Kaori e Miya Otake
As musicistas Kaori e Miya Otake

A abertura se dará, para convidados, no Palácio Guanabara, sede do Governo do Estado, às 16h, com a Orquestra Sinfônica dos Fuzileiros Navais, sendo solista a harpista Habiba Doreembos, da Holanda.

Os gêneros a serem apresentados variam do clássico ao rock, passando por étnico, jazz e ritmos brasileiros, como choro, samba, baião e frevo. Uma das grandes atrações é a harpista japonesa Rino Kageyama, da Filarmônica de Berlim, que se apresentará no Museu do Exército, no Forte de Copacabana, às 16h.

Muitos artistas têm composto novas obras, contribuindo para que o instrumento não fique parado no tempo. Alguns exemplos são o estoniano Andrés Izmaylov, o canadense Josh Layne, o colombiano Hildo Ariel Aguirre e o argentino Athy (que toca até rock em harpa elétrica). 

Destaque, também, para o brasileiro Jonathan Faganello, cuja banda apresentará heavy metal ao som de harpas, no dia 25 de Maio, às 12h30, no Museu do Exército, no Forte de Copacabana. No programa, Iron Maiden, Black Sabbath, Pink Floyd, Nightwish e Stra.

Além destes, outros representam as muitas nacionalidades presentes no rol de atrações: alemã, italiana, portuguesa, belga, holandesa, croata, tailandesa, suíça e moldávia. Do Oriente, vem um dos destaques: a nipônica Kaori Otake, que subirá ao palco acompanhada do curioso grupo Tambores do Japão. 

Intercâmbio nas comunidades promove cidadania por meio da música

Nas versões anteriores do festival foram realizados concertos em comunidades como Pavão-Pavãozinho, Dona Marta, Alemão levando os harpistas internacionais para lá. No IX RioHarpFestival houve uma inversão e  as orquestras destas e de outras  comunidades serão trazidas para que,  ao lado dos grandes harpistas mundiais,  enfatizem  este trabalho  com evidentes repercussões mundiais. As orquestras de Cellos das Comunidades Pacificadas, Orquestra de Cellos de Volta Redonda, Orquestra do GPA, Orquestra do SindiRefeições, Orquestra Violões do Forte, Orquestra Núcleo Petrópolis, Orquestra de Cavaquinhos de Cabo Frio, Orquestra da Providência. 

Para estes meninos, será uma oportunidade ímpar para a sua formação musical. Para os harpistas, acostumados a se apresentarem com as maiores orquestras mundiais, uma novidade e a possibilidade de conhecer todo o potencial destes jovens e o resgate da cidadania através da música.

Dia 7 de Maio, a Orquestra de Violoncelos das Comunidades Pacificadas se apresenta, às 14h, no Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB), no Teatro 1. Participação especial da harpista italiana Gilda Dettori, com programa de clássicos brasileiros e italianos. Em 9 de maio, no mesmo local, às 18h, será a vez da Orquestra do SindiRefeições, com participação especial da harpista Cheyenne Brown, da Escócia, apresentando clássicos brasileiros. Em 14 de Maio, às 16h, o CCBB será palco para Orquestra Infanto-Juvenil da Ação Social pela Música – Núcleo Petrópolis. Participação especial da harpista alemã Ronith Mues, com clássicos brasileiros e alemães. No dia 30 de maio, às 14h, a Orquestra Apanhei-te Cavaquinho de Cabo Frio se apresenta no Museu Histórico Nacional, com participação especial do espanhol Yerko Lorca. No programa, choro, polca, maxixe, samba, baião e frevo.

Novidade desta edição:

Uma estratégia adotada este ano foi a de agendar três a cinco recitais com muitos dos artistas, já que, na edição anterior, foi preciso arranjar, de última hora, apresentações extras para atender à demanda de público, que ultrapassava a lotação das salas. Cidades importantes de outros estados, como Minas Gerais e São Paulo, também entraram no circuito do festival, que cresce a cada edição, confirmando a potência de um dos mais delicados instrumentos musicais. 

O IX RioHarpFestival é a maior série de concertos de harpa no Brasil e uma derivação do projeto Música no Museu, em seus concertos de outono. Ganhou importância internacional e, hoje, é um dos maiores festivais de harpa do mundo, além de ganhar, a partir deste ano, um espaço com calendário anual de Festivais de Harpas das Américas, envolvendo Chile, Argentina, Venezuela, Colombia e México. 

A programação completa está no site www.rioharpfestival.com

A distribuição de senhas para os concertos será feita uma hora antes das apresentações, mas limitadas à capacidade de cada local. 

Tags: apresentação, concertos, harpa, música, Rio

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.