Jornal do Brasil

Sábado, 26 de Julho de 2014

Cultura

Obama lamenta morte de García Márquez

Agência Brasil

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, lamentou hoje (17) a morte do escritor colombiano Gabriel García Márquez, de seus autores preferidos. "O mundo perdeu um dos maiores e mais visionários escritores, um dos meus preferidos desde que eu era jovem", disse Obama, em declaração divulgada horas depois da morte do autor, que tinha 87 anos e vivia na Cidade do México.

Em sua nota, Obama lembrou que teve o privilégio de conhecer pessoalmente o escritor. O encontro entre o presidente e Gabo, como o escritor era conhecido, foi em abril de 2009, na Cidade do México, em um jantar oferecido a Obama pelo ex-presidente mexicano Felipe Calderón.

Na ocasião, Barack Obama recebeu das mãos de García Márquez uma cópia autografada do romance Cem Anos de Solidão, considerado a obra-prima de García Márquez e classificado pelo chefe da Casa Branca como "um clássico do nosso tempo".

"Como colombiano orgulhoso e representante e voz do povo das Américas, e como mestre do gênero realismo mágico, inspirou muitas pessoas, inclusive a escrever", disse Obama, que expressou condolências à família e aos amigos de García Márquez. Para ele,  o legado do autor "atravessará as gerações vindouras".

Ganhador do Prêmio Nobel da Literatura em 1982, Gabriel García Marquez morreu nesta quinta-feira. Também autor do romance  O Amor nos Tempos do Cólera, o escritor não publicava desde 2010.

Na última segunda-feira (14), a esposa e os filhos do escritor colombiano emitiram um comunicado no qual afirmaram que o estado de saúde do escritor era muito frágil, havendo risco de complicações. Gabriel Garcia Márquez voltou para casa no início do mês, depois de uma hospitalização de uma semana, por infecção pulmonar.

Tags: declaração, Escritor, Gabriel García Márquez, morte, Obama

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.