Jornal do Brasil

Sábado, 30 de Agosto de 2014

Cultura

Oitenta e cinco escultores populares de Pernambuco ganham publicação

Livro retrata história e criação dos artistas

Jornal do Brasil

Chega às livrarias “Nova Fase da Lua – Escultores Populares de Pernambuco”, escrito por Flávia Martins, Rogerio Luz e Pedro Belchior, com fotografia de Francisco Moreira da Costa. O título foi lançado originalmente em dezembro de 2012, pela editora Caleidoscópio. A nova edição, a ser lançada em abril e produzida para ser comercializada, objetiva difundir a cultura pernambucana para um público mais amplo e foi realizada em virtude de uma parceria do Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura (Funcultura), que faz parte da Fundação do Patrimônio Histórico de Artístico de Pernambuco (Fundarpe). 

O livro traz depoimentos e registro fotográfico de 85 escultores, de suas obras e das condições em que vivem e trabalham nos 13 municípios escolhidos para receber a visita da equipe de pesquisadores. 

Dividido em quatro capítulos – que representam as grandes regiões de Pernambuco: Metrópole, Mata, Agreste e Sertão –, o livro procura caracterizar a produção artística em suas semelhanças e diferenças, a partir da palavra dos escultores, da observação direta da pesquisa e do diálogo dos autores com outras referências institucionais e bibliográficas. 

As imagens desses artistas criadores, de suas obras e dos contextos em que aparecem, apresentam ao olhar um extraordinário panorama que convida à admiração e à reflexão. 

Livro retrata história e criação dos artistas
Livro retrata história e criação dos artistas

Forte vínculo com a cultura

Há mais de trinta anos, registros de uma viagem por territórios férteis em manifestações artístico-culturais tomaram a forma de um livro: “O Reinado da Lua – Escultores populares do Nordeste”, de Silvia Rodrigues Coimbra, Flávia Martins e Maria Letícia Duarte. O título refere-se a uma expressão de Nhô Caboclo, uma das personagens do livro, para dar nome ao universo do artista popular. O compromisso assumido, na época, por suas autoras – a proposta que norteou a elaboração da obra – era o de conhecer e entender melhor, com a participação dos agentes diretos dessas manifestações culturais, as múltiplas dimensões de seu universo.           

É essa a premissa que norteou a pesquisa deste lançamento “Nova fase da Lua”, coordenado e escrito por uma das autoras de “O Reinado da Lua”. O novo livro pretende focalizar a escultura popular pernambucana a partir, em primeiro lugar, da perspectiva dos próprios artistas, em que cada um deles aparece de forma individualizada, ao contar sua própria história e a história de seu trabalho. O objetivo é documentar uma realidade – estilo de vida, processo de produção, características dos produtos e visões de mundo – por meio da figura do escultor e de suas obras, tanto como singularidade quanto em suas relações dependentes de um contexto social e histórico em transformação.           

Com base na representatividade e no prestígio alcançados em suas próprias comunidades, nos meios institucionais e nos circuitos de arte, foram selecionados e entrevistados 85 escultores populares de Pernambuco, residentes em 13 municípios do estado. Os depoimentos desses artistas, registrados em áudio, tiveram um roteiro com base em questões como a sua própria conceituação do trabalho artístico, trajetória de vida e de arte, relações com os outros artistas e com a comunidade, meios de difusão e de comercialização de suas peças, bem como processos de trabalho. A palavra é do artista. Ele é o protagonista de sua própria história.            

O registro fotográfico acompanhou cada passo da pesquisa, buscando documentar o artista, a sua arte e o seu contexto. 

Importa aqui sinalizar as mutações por que passa a arte popular em Pernambuco e no Brasil, seus saltos e conflitos, a partir da palavra e das imagens de seus principais construtores, os artistas populares, na diversidade de concepções e posicionamentos que eles elaboram diante do destino de seu ofício e de suas perspectivas de vida. 

Não existe a pretensão de estabelecer uma improvável tipologia dos estilos encontrados. O que se quer é apontar, apenas, algumas tendências que surgem em meio à diversidade de temas representados e de formas expressivas assumidas pela produção escultórica das diferentes regiões. 

A edição, com patrocínio da OAS, foi distribuída pela construtora como brinde aos seus clientes. 

Lançamentos em abril de 2014

RIO DE JANEIRO - 4 de abril, sexta-feira, às 19h, na Livraria da Travessa do Shopping Leblon, bate-papo com o professor e crítico de arte Paulo Sergio Duarte, seguido de coquetel e sessão de autógrafos

RECIFE - 10 de abril, quinta-feira, às 17h30, na Galeria de Arte do Centro de Artesanato de Pernambuco, coquetel e sessão de autógrafos 

O LIVRO - Com 232 páginas, em papel couché e capa dura, será vendido nos dois lançamentos por R$ 110

Tags: escultura, lançamento, livro, obra, publicação

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.