Jornal do Brasil

Domingo, 26 de Outubro de 2014

Cultura

A estreia nacional do Robocop original

Clássico foi lançado no Brasil em outubro de 1987

Jornal do Brasil

Outubro de 1987. O Brasil acompanha o drama das vítimas do Césio 137, que contaminou Goiânia. A vida política nacional volta-se para a conclusão da nova carta magna - a Constituição Cidadã, o que só acontecerá um ano depois. Também em Brasília, o presidente Sarney lança em rede nacional um pacto para governar o país sem freios. No Rio, as latas lançadas ao mar pelo Solana Star tornam-se musas de uma lendária corrida ao ouro que se estenderá pelo verão seguinte. E enquanto o governador Moreira Franco empunha a bandeira lançada como promessa de campanha eleitoral (acabar com a violência em seis meses!), o estado arrasta-se sob um dos períodos mais atribulados da violência urbana...  

É neste cenário que se exalta o lançamento em circuito nacional do clássico Robocop, mais precisamente no dia 8 de outubro de 1987 (com direito a pré-estreia na véspera). Notícia publicada no Caderno B da edição de 7 de outubro de 1987 do Jornal do Brasil, com a recomendação: o filme fica muito acima dos outros do gênero. Matéria traz depoimento do diretor holandês Paul Verhoeven sobre a produção e relembra alguns antepassados do robô.

A estréia brasileira de Robocop. Jornal do Brasil, 7 de outubro de 1987.
A estréia brasileira de Robocop. Jornal do Brasil, 7 de outubro de 1987.

Um policial de futuro

Meio homem, meio máquina, Robocop chega para esquentar a primavera

A cidade está dominada por marginais, a polícia é impotente para controlar a situação - faz o que pode. Traficantes agem na maior impunidade e, aos poucos, parecem se tornar senhores da situação. Nas ruas semi-desertas, espelha-se o pânico dos cidadãos diante da insegurança. Este quadro soa conhecido? Bem, qualquer semelhança pode ser mera coincidência... Clique aqui para ler o artigo na íntegra.

Confira também: Robocop, dirigido por José Padilha, chega aos cinemas

Tags: anos 80, cinema, clássico, paul verhoeven, remake

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.