Jornal do Brasil

Sexta-feira, 25 de Abril de 2014

Cultura

Museu do Amanhã abre sala de visitação

Agência Brasil

Um dos maiores empreendimentos culturais públicos-privados do Rio de Janeiro, o Museu do Amanhã, no Píer Mauá, Zona Portuária do Rio de Janeiro, com inauguração prevista para 1º de março de 2015, oferece a partir desta quarta-feira (19) sala de visitação com vídeos e aplicativos sobre os impactos das atitudes do homem em relação ao meio ambiente.

De acordo com o curador do museu, Luiz Alberto Oliveira, os 80 metros quadrados com vídeos e ferramentas interativas oferecem prévia do que será o museu, de 15 mil metros de quadrados. “É aperitivo da estrutura narrativa do que será o Museu do Amanhã. Um museu de ciência aplicada, de exploração de possibilidades de futuro:  a ideia é que o visitante aqui, nesta salinha, tenha uma primeira mostra do que será o conteúdo completo do museu”, disse ele.

Oliveira explicou que 13 temas são explorados nos dispositivos interativos e nos vídeos, relacionados com cinco grandes tendências: mudança do clima, aumento da população e da longevidade, aumento do número e da qualidade de artefatos mais próximos da população, alteração drástica da biodiversidade e expansão muito rápida do conhecimento.

O local fica no canteiro de obras do museu.  A entrada é franca e a sala funciona de terça a domingo das 10h às 17h. A sala conta ainda com maquete do edifício, idealizado pelo arquiteto Santiago Calatrava, que prevê a utilização de recursos naturais do local, como captação de energia solar e uso da água da Baía de Guanabara na climatização do interior do Museu e reutilizada no espelho de água.

O curador disse que a o museu terá na entrada um portal cósmico de 360 graus. “É um ovo negro de grandes dimensões. O chão desaparece, o teto desaparece e você é arremessado a escalas do universo que estamos desabituados a experimentar com a vista desarmada,” disse ele. “Então você vai explorar as dimensões astronômicas, moleculares e a complexidade na vida na terra”, disse ele ao ressaltar que, além da exposição permanente,  o museu  organizará exposições de arte que dialoguem com a ciência e a proposta do museu.

O museu é considerado pela prefeitura do Rio uma das mais importantes peças do plano municipal de revitalização da zona portuária. Orçado originalmente em R$ 130 milhões, o projeto agora vai custar R$ 215 milhões, custeado com a venda dos Certificados de Potencial Adicional de Construção (Cepacs) da prefeitura e executados pela Concessionária Novo Rio.

Tags: AMBIENTE, museu, portuária, Rio, visitação, Zona

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.