Jornal do Brasil

Quinta-feira, 17 de Abril de 2014

Cultura

Temas urbanos e refinamento harmônico marcam 'São Francisco', de Alvaro Gribel

Compositor mergulhou nas raízes da MPB para se reinventar

Jornal do Brasil

São Francisco é um bairro em Niterói (RJ) cercado por natureza, silêncio e banhado pelas águas da Baía de Guanabara. Espécie de refúgio ao caos urbano, o lugar foi escolhido pelo cantor e compositor Alvaro Gribel como berço de criação de seu segundo disco, homônimo, produzido por Rodrigo Campello e coproduzido por Eber Pinheiro. Com show de lançamento marcado para 1º de fevereiro, às 21h30, no Solar de Botafogo, “São Francisco" traz nove canções autorais e inéditas: um mergulho nas raízes da Música Popular Brasileira. 

Abordagens dos temas universais amor, perdão e fé, e de problemáticas urbanas tipicamente brasileiras, como violência, trânsito e as tragédias das chuvas, são feitas com sensibilidade neste álbum que traz o clima de um cotidiano mais simples e reflexivo. Alvaro Gribel assina voz e violão, tocando, em formação de quarteto, com os veteranos Rodrigo Campello (guitarra, programações, violões de 6 e 7 cordas e cavaquinho), Jorge Helder (baixo acústico) e Jurim Moreira (bateria). 

Alvaro Gribel lança 'São Francisco'
Alvaro Gribel lança 'São Francisco'

Para conceber o novo disco, o músico se dedicou a um aprimoramento técnico que incluiu um ano de estudo do livro ‘Harmonia’, do compositor austríaco de música erudita Arnold Schoenberg, o que lhe permitiu construir os acordes e ter um domínio mais completo da composição. “Fala-se muito que o segundo disco é difícil porque o artista precisa se reinventar. Então me mudei do Rio e, antes de vir para São Paulo, fui morar sozinho nesse bairro, onde compus, entre 2011 e 2012, as canções do CD”, conta Gribel, que, em 2012 e 2013, gravou e mixou o álbum em estúdios do Rio de Janeiro (MiniStereo) e de Nova York (Atlantic Sound Studio). 

O desafio era grande porque ele não queria usar software de afinação de voz, como é comum no meio. “Foi uma conquista gravar ao lado desses músicos sem corrigir a afinação pelo computador em nenhum momento”, afirma. O resultado teve a aprovação de Campello. 

“Talvez tenha sido o disco mais relax que fiz entre 2012 e 2013. Foi muito orgânico todo o caminho dele: as músicas que o Alvaro trouxe, o envolvimento com o Eber Pinheiro e o astral da equipe. Tudo foi se encaixando de uma forma bem bacana. O Alvaro estava muito preparado para gravar o ‘São Francisco’ e isso foi fundamental para que fosse tão fácil realizá-lo”, avalia o produtor. 

Como letrista, Gribel sentia que precisava olhar menos para dentro de si, e mais para o mundo ao seu redor. O resultado se materializou em músicas como "Oração", que fala sobre a tragédia do deslizamento de terra do Morro do Bumba, em Niterói; "Santos e orixás", cujo tema é a violência e o sincretismo religioso; e a inusitada "Marcha de autopeça". 

"Fui à oficina fazer a revisão do carro e recebi um orçamento cheio de peças para trocar. Quando cheguei em casa e reli a lista, imediatamente as peças foram se encaixando em uma melodia que já estava pronta, como num passe de mágica. Assim nasceu a ‘Marcha de autopeça’, falando de radiador, coifa, coxim, batente", explica Alvaro Gribel.

"São Francisco" está sendo distribuído pela Tratore e já está disponível para venda no iTunes, na Livraria Cultura e, em breve, chegará a outras livrarias do país. 

Show de lançamento no Rio de Janeiro 

Dia 1º de fevereiro, às 21h30

Solar de Botafogo - Rua General Polidoro, 180, em Botafogo, no Rio de Janeiro, com informações pelo: (21) 2543-5411

R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia) 

Tags: gribel, lançamento, música, Rio, show

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.