Jornal do Brasil

Domingo, 20 de Abril de 2014

Cultura

'Como nascem as estrelas' ocupa arenas e lonas culturais cariocas

Com texto original de Clarice Lispector, espetáculo mistura música e atuação

Jornal do Brasil

Durante todo o mês de dezembro, é realizado nas arenas e lonas culturais cariocas o espetáculo “Como nascem as estrelas”, que encena o livro homônimo escrito por Clarice Lispector. Criada em 2008, a montagem mistura música e atuação para contar a história de seis lendas presentes no livro e traz para o palco índios, pássaros exóticos, macacos, onças e personagens brasileiros como Pedro Malazarte e Yara, apresentados de forma original por Clarice. Além de assistir ao espetáculo, as crianças podem aprender um pouco mais sobre a autora na oficina “Brincando com Clarice”.

A peça começa fora do teatro: durante o trajeto até os assentos, o público é guiado pelos atores e músicos, que os convidam a interagir com o cenário, criado por Ney Madeira e indicado ao prêmio Zilka Salaberry. A música é tocada ao vivo e segue a mesma fórmula do texto, transitando entre o popular e o erudito sem nenhuma cerimônia. Carol Panesi e o diretor musical Rui Alvim, que tem em seu currículo parcerias com Zeca Pagodinho e Martilho da Vila, apresentam aos espectadores composições clássicas, ritmos indígenas, chorinhos, fados e sambas compostos por Villa lobos, Chiquinha Gonzaga, Jacob do Bandolim e Dorival Caymmi. Os instrumentos são um atrativo a mais para crianças e adultos, que se encantam ao ouvir os sons do clarone, trompete, violino e da clarineta misturados aos instrumentos indígenas.

O espaço é aproveitado ao máximo, sendo preenchido por uma instalação que reporta às matas brasileiras, confeccionada com redes, escadas de corda e tecidos onde são pendurados instrumentos de percussão. A luz, de Aurélio de Simoni, também indicada ao prêmio Zilka Salaberry, aproxima palco e plateia e dá o toque final à atmosfera criada. Para dar ainda mais realismo, Ney Madeira criou um figurino inspirado em grafismos indígenas. Já os adereços, feitos pela designer Maria Oiticica, são compostos por cestaria e biojóias, e misturam materiais como a prata e a seda às sementes e à palha.

A interação do público com o cenário também acontece durante a oficina “Brincando com Clarice”. Nela, a equipe artística de “Como nascem as estrelas” recebe 30 participantes de todas as idades para a realização de jogos teatrais, dinâmicas corporais e exercícios musicais a partir de trechos de livros de Lispector. Durante a oficina, que tem duração de duas horas, os participantes também têm a oportunidade de conhecer o processo de criação da peça.

“Como nascem as estrelas” já foi indicada em três categorias do prêmio Zilka Salaberry e integrou a programação do Ano do Brasil em Portugal, em 2012, com apresentações no Teatro Dona Maria II, em Lisboa. No Brasil, a peça já passou por São Paulo, Recife, Salvador, Brasília e Fortaleza. Na última temporada no Rio de Janeiro, foi apontado como um dos melhores espetáculos infantis em cartaz.

Tags: clarice, lispector, livro, peça, teatro

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.