Jornal do Brasil

Sexta-feira, 26 de Maio de 2017

Cultura

'BBB 10': Na edição da diversidade sexual, vitória de um lutador

Jornal do Brasil

Paulo Ricardo Moreira , Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - No BBB 10, o da diversidade sexual tinha gay, drag queen e lésbica parece ironia que o campeão seja um participante acusado de homofobia. Mas, como disse Pedro Bial em seu discurso ao anunciar, terça-feira, Marcelo Dourado como campeão e ganhador do prêmio de R$ 1,5 milhão, se Dourado é homofóbico, no BBB 10 ele não foi . E ponha-se essa afirmação em capslock (caixa alta), expressão que o mais novo milionário da praça transformou em bordão. Com a experiência de quem já tinha passado pelo confinamento no BBB 4, o polêmico lutador gaúcho mostrou ser um excelente jogador e se transformou ao longo do programa, reinventando a imagem negativa que tinha de si mesmo e convencendo o público a acreditar que havia mudado. Mas será que ele mudou mesmo?

Não sou homofóbico, de jeito nenhum afirmou, durante a coletiva, Dourado, dizendo que só soube das acusações contra ele ao sair da casa. Jamais me referi a ninguém com agressividade ou fiz qualquer tipo de violência.

A votação que consagrou Dourado foi recorde dentre todas as edições do Big Brother já realizadas no mundo: foram 154.878.460 de votos. Esse número só reforça o que já se sabia sobre o BBB 10: foi a edição que conseguiu a maior participação do público, via telefone ou internet. Do total de votos, o lutador conquistou 60% da preferência do público, enquanto Fernanda teve 29% e Cadu, 11%.

Um fato é incontestável: foi a volta por cima de um perdedor. Após sua participação na quarta edição do reality, Dourado saiu queimado da casa, perdeu lutas e tudo o que tinha. No ano passado, passou por seu pior momento ao voltar sem dinheiro de uma temporada na Nova Zelândia. Antes de entrar no BBB 10, o lutador estava morando num pequeno apartamento na comunidade do Terreirão, no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio. Agora milionário, ele quer melhorar as condições de vida de sua família e comprar uma casa para deixar de pagar aluguel.

O dinheiro, eu vou investir naturalmente, mas eu pretendo dar alguma coisa boa para a minha família, principalmente para os meus irmãos. Acho que um teto para os meus irmãos seria uma boa e uma casa para mim também, coisa que eu nunca tive. É bom ter um lugar para cair, para variar contou o ganhador.

No BBB 10, à medida que superava paredões (foram cinco) e se metia em discussões, o polêmico lutador foi arregimentando uma legião de fãs. Por outro lado, ganhou também uma forte corrente de críticos, que viam nele um comportamento homofóbico, sobretudo quando reclamava das conversas sobre homossexualismo. Mas o maior deslize de Dourado, por absoluta ignorância, foi afirmar que homens heterossexuais não contraem o vírus da Aids a partir deste momento, ele também atraiu para si a ira da comunidade gay. Uma bobagem que a Globo foi obrigada pela Justiça a corrigir num editorial exibido na segunda passada.

Dourado afirmou que deve sua vitória à sua família e a seus mestres. Muito justa a reverência. Mas o vencedor desta edição também deve muito à Máfia Dourada, que fez uma campanha mais agressiva do que a controvertida postura do lutador. Na internet, seus fãs chegaram a ameaçar e ofender Dicesar, que se transformou em seu maior rival na casa.

Não vou comentar nada sobre isso, pois não tem como falar sobre o que os outros falam ou fazem. Eu nem estou sabendo de nada, mas vou procurar saber comentou.

Mesmo batendo recorde de votação, a final do BBB 10 deu média de 41 pontos, a mesma registrada pelo BBB 9. Foi a maior audiência desta 10ª edição do reality. Porém, empatou com a nona edição como a pior audiência entre todas as finais do programa.

Compartilhe: